Postagens

Mostrando postagens de Novembro 24, 2019

Dezenove árvores foram plantadas na nova praça João Costa, diz prefeitura de Lages

Imagem
Das dez árvores que tinham no local, três estavam doentes, duas foram transferidas e outras de espécie considerada invasora foram retiradas e substituídas por outras espécies que irão demorar um pouco a crescer. Por LD, Lages/SC 📷 Praça João Costa. (Foto: Maurício Santos / LD Comunicação)    A revitalização da praça João Costa despertou a curiosidade de milhares de pessoas que aproveitaram o fim de semana para passar pelo local e conhecer as mudanças. Muitos nas redes sociais, porém, reclamaram da falta de árvores no local se comparado com a praça antes da revitalização.  Devido ao fato, a Prefeitura de Lages explicou que na antiga praça haviam dez árvores, sendo um ipê que estava doente, quatro coqueiros (dois deles doentes e outros dois foram transferidos para outra praça, e alguns ligutros, esta última, considerada uma espécie invasora agressiva, que prejudica outras árvores e causa danos à saúde das pessoas e em equipamentos urbanos, como ruas e calçadas, o

Reação dos preços dos animais se confirma no último leilão do ano

Imagem
Esse é o resultado da última feira de gado geral deste ano no Parque Conta Dinheiro, em Lages. Por ASSESSORIA DO SINDICATO RURAL DE LAGES, Lages/SC 📷 Paulo Chagas / Assessoria do Sindicato Rural A última feira de gado geral no Parque Conta Dinheiro encerra o ano com a reação nos preços dos animais e da carne, prevista pelo setor. Conforme explica o presidente do Sindicato Rural de Lages, Márcio Pamplona, não se trata de aumento, mas de uma reposição dos valores que estavam represados há seis anos. Esta reação se deu agora, e foi vista no leilão do sábado (23), quando os números ficaram bem acima dos preços praticados recentemente na Expolages, em outubro. O quilo médio dos bois atingiu R$ 7,56, e das novilhas R$ 7,57. “Com o aumento das exportações e os com os preços praticados na região centro oeste superando os valores praticados em Santa Catarina, percebe-se que, ainda não chegamos aos valores que esperamos, mas devem subir ainda mais no início do ano que vem”