Durante toda a semana serão realizadas devolutivas dos cursos de instrumental, street dance, balé e teatro.

Por ALINE TIVES da ASCOM PML,
Lages/SC

📷 Marcelo Pakinha / ASCOM PML

O Teatro Marajoara terá uma semana repleta de espetáculos da Escola de Artes Elionir Camargo Martins, da Prefeitura e Fundação Cultural de Lages. Uma devolutiva à comunidade de todo trabalho realizado durante o ano pelos instrutores e seus alunos. Nesta primeira noite, segunda-feira (2 de dezembro), amigos e familiares prestigiaram as apresentações das turmas de musicalização infantil e adulto, técnica vocal e saxofone.

Cerca de 90 alunos, de todas as idades, subiram ao palco do teatro para dar o seu melhor, afinal, este seria o resultado de um ano de incansáveis ensaios e muita expectativa. “Nosso dever enquanto poder público é oferecer oportunidades e ficamos muito felizes ao ver o quanto as pessoas acreditam em nossos projetos. O objetivo aqui não é formar grandes músicos, mas estreitar laços e promover a cultura”, enfatiza o vice-prefeito, Juliano Polese.

Núcleos da Escola de Artes foram descentralizados através do projeto Lages Melhor, e chegaram a dez comunidades em todas as regiões da cidade com aulas de dança, música, desenho e um curso de manequins e modelos em um dos núcleos. “Nosso foco é alcançar cada vez mais as crianças e adolescentes, trabalhando com a formação desde muito jovens”, afirma o diretor, Salésio Padilha.

Para o superintendente da Fundação Cultural (FCL), Gilberto Ronconi, Giba, esta será uma semana de agradecimentos por mais um ano de excelente trabalho, realizado pelos professores.

A pequena Fernanda, de seis anos, filha de Crisângela de Souza Xavier e Alexsandro Machado Xavier, sobe a terceira vez ao palco em apenas um ano de aulas de musicalização. Seu instrumento é o prato. “Ela sempre se interessou pela música, e agora quer aprender a tocar gaita. Há dois anos faz também o balé, e todo esse estímulo tem ajudado muito na concentração e desenvoltura”, conta o pai.

A música como incentivo à superação

Os cursos oferecidos pela Escola de Artes muitas vezes não é apenas um estímulo à cultura, nem uma forma de se descobrir talentos, mas é vista como uma alternativa a quem busca a superação.

Este é o exemplo da família de Luciane Mota, que sentava nas primeiras fileiras do teatro para aplaudir a filha Luiza, de dez anos. Este é o primeiro ano da jovem cantora no curso de técnica vocal e seu sexto ano na luta pela recuperação de um tumor no cérebro.

A menina passa por um tratamento oncológico desde 2013 e está na quarta sessão de quimioterapia. Logo na descoberta do tumor passou por uma cirurgia no cérebro e isso afetou muito sua coordenação, mas principalmente a visão e a fala foram comprometidas. Desde então faz sessões de fisioterapia e freqüenta a fonoaudióloga. “A música veio como um auxílio a todos os tratamentos, e notamos uma grande melhora depois que a matriculamos no curso de técnica vocal. A escola foi muito acolhedora e ela se sente muito bem durante as aulas. Somos muito gratos por isso”, conta a mãe.

Próximas apresentações:

- Terça-feira (3 de dezembro) – Instrumental
- Quarta-feira (4 de dezembro) – Street Dance
- Quinta-feira (5 de dezembro) – Balé
- Sexta-feira (6 de dezembro) – Teatro