Postagens

Mostrando postagens de Setembro 19, 2015

Música

Imagem
Royal Blood tenta vencer apatia de fãs de Metallica com rock direto Dupla tocou 10 músicas só com baixo e bateria no Palco Mundo. Baterista pulou na plateia e guitarrista mostrou ser ótimo vocalista. Braulio Lorentz Do G1 Rio Sabe como é Rock in Rio , né? Basta estar no dia errado ou no palco errado para tomar vaia na cabeça. Pergunte ao Carlinhos Brown , ao Glória ou ao NX Zero . Antes desta noite de sábado, fãs do  Royal Blood  confessaram no Facebook e Twitter que temiam pela recepção da banda no Palco Mundo. Devem estar aliviados. A dupla fez barulho para os fãs de Metallica com baixo, bateria e um rock direto. Sem vaias.

Música

Imagem
Korn faz show bate-cabeça e prova merecer Palco Mundo do Rock in Rio Símbolo do new metal dos anos 1990, banda tocou no Palco Sunset. Apresentação comemorou 20 anos do disco de estreia e teve hits pesados. Cauê Muraro Do G1 Rio A escalação do Korn para o Palco Sunset neste sábado (19) no Rock in Rio pareceu um equívoco. Mas só porque a banda, símbolo do new metal dos anos 1990, mostrou que merecia o Palco Mundo, espaço principal do evento. Ao término, o quinteto liderado pelo vocalista Jonathan Davis (e seu pedestal de microfone no formato de mulher nua estilizada) ouviu coro de "Olê, olê, olê, olê... Kornê, Kornê!". O público possivelmente foi o maior do Sunset até aqui. Mesmo quem não é admirador do estilo que consagrou o grupo tem de reconhecer que os integrantes são bons de palco e cumprem a missão básica: promover bate-cabeça coletivo. Se a falta de variação nítida entre as músicas pesa contra e às vezes compromete, a intensidade e o

Música

Imagem
Gojira abre bem noite no Palco Mundo de metal com graves ensurdecedores Bumbo duplo da banda de metal francesa fez tremer a Cidade do Rock. Banda mostrou de forma segura músicas apocalípticas sobre meio ambiente. Rodrigo Ortega Do G1, no Rio O tradicional bumbo duplo do metal, usado e abusado pelo baterista do Gojira , estremeceu a Cidade do Rock na abertura da noite do metal no Palco Mundo, neste sábado (19). A banda francesa, pouco conhecida do grande público tinha lá seus fãs na grade. Eles entraram às 19h e tocaram por cerca de uma hora. Claro que, na barulheira em volume considerável para uma banda de abertura, não dava para entender as letras contra a destruição do meio ambiente. Mas deu para pegar o clima apocalíptico. Cheia de mudanças de dinâmica, com vocal rasgado e letra distópica, "Ocean planet", que abriu bem o show, não poderia estar mais distante da nossa "Planeta água", de Guilherme Arantes, como poderia faz

Música

Imagem
Ministry recebe Burton C. Bell em show marcado por críticas e rebeldia Vocalista soltou a voz rouca em músicas como ‘Just one fix’ e ‘So What?’ Convidado esquentou o final da apresentação no Palco Sunset. Do G1 Rio (g1.globo.com/rj/rio-de-janeiro) A  banda americana Ministry , quatro anos mais antiga que o trintão Rock in Rio , mostrou boa forma no Palco Suset no fim da tarde deste sábado (19). Com vigor de garoto, aos 56 anos, o vocalista Al Jourgensen comandou o show com seu vozeirão rouco e as letras críticas, principalmente à direta política americana ( veja mais fotos do show ). No telão ao fundo, imagens meio psicodélicas mandaram mensagens ofensivas a redes de televisão norte-americanas - uma suástica foi vinculada a uma delas - e a governantes do país.

Música

Imagem
Angra se redime no Rock in Rio com Dee Snider e 2 hits do Twisted Sister Banda de metal contou com convidados para apagar show ‘triste’ de 2011. Grupo celebrou ida de Kiko Loureiro para Megadeth e apresentou substituto. Braulio Lorentz Do G1, no Rio Com novo vocalista e dois convidados de peso, o Angra tinha uma missão bem definida ao tocar no Palco Sunset neste sábado. O grupo recebeu a cantora Doro Pesch e Dee Snider, vocalista do Twisted Sister, para apagar uma possível má impressão deixada no Rock in Rio 2011. Até o grupo brasileiro de metal melódico já disse que era "triste lembrar" da apresentação , cheia de falhas técnicas.

Música

Imagem
Noturnall reúne Michael Kiske, mãe de vocalista e zumbis pole dancers Cantora de época de festivais, Maria Odette interpretou ‘Woman in chains’. Alemão ex-Helloween cantou 3 músicas e levantou público com ‘I want out’. José Raphael Berrêdo Do G1 Rio Não bastasse ter a participação de Michael Kiske , ex-Helloween, o Noturnall apostou em show cheio de surpresas no Palco Sunset, na tarde deste sábado (19), no Rockin Rio . Dançarinas de pole dance vestidas como zumbis, um boneco gigante macabro e uma grande bola jogada no público animaram a apresentação. Mas nada foi tão inusitado como a palhinha de Maria Odette, mãe do vocalista Thiago Bianchi. Grande cantora da época de ouro dos festivais da música brasileira, nos anos 1960, ela cantou a balada "Woman in chains", do Tears for Fears, e foi muito aplaudida, em momento emocionante até para uma público ansioso por metal pesado. "Muito obrigada!", agradeceu Odette, sendo correspo

Trânsito

Imagem
BR-282 Duas pessoas morrem em acidente envolvendo caminhão e carro em Lages Informações preliminares levam a entender que carro invadiu a pista contrária e bateu frontalmente com caminhão. Do LD, com informações da PRF ( jornalismo.lagesdiario@hotmail.com ) Um grave acidente na tarde deste sábado (19) envolvendo um carro e um caminhão deixou duas pessoas mortas na BR-282, em Lages próximo a divisa com Bocaina do Sul . ::: Siga-nos no Instagram Segundo informações preliminares tudo indica que o carro, um Fiat Uno com placas de Lages teria invadido a pista contrária e colidido frontalmente com um caminhão na altura do km-201 da rodovia. Com o impacto, o carro rodopiou na pista e parou em um barranco. O caminhão tombou em um barranco também. O Corpo de Bombeiros de Lages foi acionado para resgatar as vítimas, mas as mesmas morreram no local. O IGP encaminhou os corpos das vítimas, as duas do carro para o IML em Lages. O motorista do caminhão teve ferimentos

Música

Imagem
Queen tem Adam Lambert soltinho, selfie e replay de coro no Rock in Rio Show teve clima nostálgico; ‘Love of my life’ emocionou público. Substituto de Freddie Mercury é pior nos graves mas se saiu bem. Rodrigo Ortega Do G1 Rio Adam Lambert comanda os vocais do Queen no lugar de Freddie Mercury no palco Mundo do Rock in Rio 2015 (Foto: Fábio Tito/G1) Trinta anos depois de um show clássico no Rock in Rio , talvez o mais conhecido e celebrado da história do festival criado em 1985, o  Queen  voltou, nesta sexta-feira (18), ao palco principal do evento. Faltou, claro, Freddie Mercury. Mas Adam Lambert, o vocalista substituto, esteve bem à vontade: além de se divertir, divertiu o público, fazendo uma boa apresentação e à altura da história da banda. A Cidade do Rock se emocionou com "Love of my life" e foi abaixo com "Bohemian Rhapsody" (não por acaso, é nestas duas que a imagem de Freddie surge no telão).

Música

Imagem
Rock in Rio 30 anos Metallica é a atração principal deste sábado no Palco Mundo Angra, Korn, Ministry e Noturnall são algumas das atrações do Palco Sunset... E mais no espaço Eletrônica e Rock Street, confira a programação Do LD, no Rio de Janeiro (cultura.ld@hotmail.com) Após uma noite de muita emoção e nostalgia ao relembrar os 30 anos de um dos maiores festivais de música do mundo, e onde o pop se fez presente com apresentações de   The Script   e   OneRepublic   e um show para ficar pra história mais uma vez do   Queen   com a participação de   Adam Lambert , o segundo dia de   Rock in Rio   dará espaço ao rock um pouco mais pesado. ::: Curta-nos no Facebook ::: Siga-nos no Instagram Metallica será a atração principal da noite de sábado (19) no Palco Mundo – o principal dos quatro que têm na Cidade do Rock – ainda passarão por este palco, as bandas   Gojira   que abre a noite, seguida de   Royal Blood   e   Mötley Crüe . No   Palco

Música

Imagem
OneRepublic faz pop rock bem tocado e inofensivo antes do Queen Plateia cantou hits como ‘Counting stars’, ‘Apologize’ e ‘Secrets’. Vocalista Ryan Tedder tentou agradar com solos, obrigados e falsetes Braulio Lorentz Do G1, no Rio O OneRepublic pode se considerar uma banda de sorte. Estrear no Brasil ensanduichado por uma banda ruim de doer (The Script) e o Queen é para poucos. Sim, OneRepublic tem pelo menos três canções conhecidas no Brasil e o show no Palco Mundo provou que você pode até confundir o nome do grupo com o do One Direction, mas sabe cantarolar um hit ou outro deles. A banda americana de pop rock botou violoncelo, falsetes e baquetadas a serviço de boas canções como "Secrets", a segunda da noite, com refrão cantado pela maior parte da plateia.