Brasileira Julia Gama fica em 2º lugar no Miss Universo; México leva a coroa

Brasil estava na busca de quebrar um jejum de 53 anos. 

Do LD
Lages/SC

Andrea Meza é escolhida Miss Universo. (Foto: DIVULGAÇÃO)


Andrea Meza, do México, ganhou na noite deste domingo (16), a 69ª edição do Miss Universo realizada na cidade de Hollywood, na Flórida, nos Estados Unidos. A brasileira Julia Gama, 27, natural de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, ficou em segundo lugar. A última vez que o Brasil conquistou a coroa foi em 1968 com a baiana Martha Vasconcellos. 

A trajetória na disputa

A representante brasileira entrou no grupo das 21 semifinalistas e na sequência chegou ao grupo das 10 finalistas, ao lado das misses Austrália, Costa Rica, Índia, Jamaica, México, Peru, Porto Rico, República Dominicana e Tailândia, e posteriormente ao Top 5. 

Na conversa com a jurada, Julia foi questionada como convencer o mundo que as mulheres são capazes de serem grandes líderes e alertou ao mundo que não existe diferença entre homens e mulheres. 

Brasileira Julia Gama durante o Miss Universo. Ela acabou ficando em segundo lugar. (Foto: REPRODUÇÃO / TWITTER MISS UNIVERSE)

"As mulheres são uma parte muito importante da sociedade e só porque não somos incentivadas da mesma forma que os homens, não significa que não temos o nosso potencial. O mundo precisa da contribuição das mulheres. Nós estamos aqui por um motivo e convido as mulheres a entenderem que somos as líderes das nossas vidas e fazer muito pela nossa comunidade. Então, vamos erguer nossas mãos", respondeu Julia. 

No anúncio, as cinco finalistas se posicionaram para ser anunciadas. A quinto lugar foi a Miss República Dominicana, seguida da Miss Índia, Miss Peru, e o anúncio final foi entre a brasileira e a mexicana, melhor para a mexicana. 

O Miss Universo é considerado uma das mais importantes competições de beleza do planeta ao lado do Miss Mundo, e celebrou nesta noite sua 69ª edição. O Brasil conta com duas coroas, ambas conquistadas na década de 1960, com a também gaúcha, Ieda Maria Vargas (1963) e cinco anos mais tarde, com Martha Vasconcellos (1968). 

A última vez que o Brasil havia chegado ao Top 5 foi na 62ª edição do evento, em 2013. 

Comentários