Lageano integra lista dos 50 nomes que expandiram a criatividade no Brasil durante a pandemia

Fabrício Rezende aparece como destaque no Wired Creative Festival, juntamente com Lola Porto, ambos fazem parte da Balaclava Studio, com sede em Florianópolis. 

Da AGÊNCIA LD*
Lages/SC

Foto: Wendy Andrade / Wired  

Um lageano juntamente com uma florianopolitana são os únicos catarinenses que integram uma lista inspiradora, a da Revista Wired, o Wired Creative Festival, que nomeia 50 brasileiros que se reinventaram para se adequar ao novo ano dando um salto criativo em meio às adversidades enfrentadas. Trata-se de Fabrício “Faustin” Rezende e Lola Porto, do Balaclava Studio, e que mostraram como o seu estúdio criativo catalisou todas as mudanças para um ano tão atípico. A lista ainda conta com nomes como os rappers Emicida e Marcelo D2, o neurocientista Sidarta Ribeiro, a empresária Monique Evelle e o humorista Marcelo Adnet.

::: Receba as notícias no seu WhatsApp. Clique aqui e inscreva-se
 
O Balaclava começou com o lageano Faustin como um estúdio de design, mas com passar dos anos acabou se expandindo e atualmente trabalha de forma mais ampla em relação a marcas. Fazendo a ponte São Paulo e Florianópolis, cidade onde é a sede da empresa, Faustin acabou durante a pandemia retornando à Florianópolis para repensar a estratégia de seu negócio. “Você passa a vida inteira construindo um negócio para depois desconstruí-lo”, explica, comentando que 2020 foi somente o ano de reestruturação e o próximo se mostra decisivo.
 
Já Lola Porto, natural de Florianópolis, mas que atualmente tem base em Berlim, na Alemanha, cuidou da estratégia dessa mudança de marca. “Em uma semana, tivemos cinco reuniões de quebra de contrato”, relata o baque do início da pandemia para o estúdio, que tem em seu portfólio produtos usados por nomes internacionais como Kanye West e Snoop Dogg.
 
Esse foi o momento de repensar tudo, incluindo a relutância de se assumir como agência, dentro de um formato de mercado que os sócios consideram obsoleto, e, que culminou com alguém sugerindo que eles fossem uma “agência de viagens”. O conceito  mexeu com a motivação da dupla, gerando uma nova definição, posicionamento e forma de interagir com clientes e marcas. Essa mudança ajudou o estúdio a se reerguer com novos e velhos clientes, desde festivais de músicas até entidades empresariais.

*Com informações da Koi Comunicação

Lages Diário

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog