Mais de um ano depois, o transporte coletivo em Lages continua trabalhando em regime reduzido

Mesmo com a diminuição nas regras restritivas por conta da Covid-19 em vários setores, transporte em Lages continua trabalhando com horários reduzidos e menos linhas, e ônibus têm sido flagrados com lotação em alguns horários. 

Por Maurício Santos do LD 

📷 Ônibus do transporte coletivo de Lages no dia 8 de junho de 2020 retornando após três meses sem circular por conta das restrições da pandemia da Covid-19. Após mais de um ano, pouca coisa mudou. (Foto: MAURÍCIO SANTOS / ARQUIVO LD)

LAGES — Era 17 de março de 2020 quando o Governo do Estado determinou o primeiro lockdown por conta da Covid-19 desde aquela data até o dia 8 de junho do mesmo ano, o transporte coletivo em Lages administrado pela Transul ficou sem funcionar, mas desde junho de 2020 até setembro de 2021, ou seja, mais de um ano se passou e o transporte público de Lages continua funcionando de forma reduzida nos horários e itinerários, mesmo com o fim de várias regras de restrição nos mais variados setores, inclusive até com o início da discussão para a volta dos eventos de grande porte no Estado. 


📷Registro de passageiros mostrando a lotação dos ônibus
em Lages em alguns horários mesmo diante de restrições da 
pandemia. (Foto: REPRODUÇÃO / REDES SOCIAIS)
Por outro lado, segundo dados do Portal da Transparência da Prefeitura de Lages, a empresa recebeu quase R$ 5 milhões (R$ 4.828.677,00) de subsídios da Prefeitura de Lages desde o início da pandemia, o que está previsto em contrato assinado em 2016 ainda na gestão anterior a do atual prefeito Antonio Ceron (PSD), mas mesmo com essa fortuna, algo que qualquer outra empresa também muito afetada pelos impactos do coronavírus tenha recebido do Município, a Transul continua trabalhando de forma reduzida com menos horários diariamente se comparado com o cenário antes da pandemia, com menos linhas, ocasionando em alguns horários a lotação dos ônibus, o que contraria uma das poucas regras ainda vigentes que é a de ocupação de 50% da capacidade do ônibus. Além disso, só recentemente é que a empresa voltou a ter ônibus funcionando durante os domingos, mas mesmo assim, com horários reduzidos. 

Nas últimas semanas, a situação tem sido abordada também na Câmara com diversos requerimentos sendo aprovados na Casa Legislativa questionando sobre os próximos passos para a volta ao normal da prestação de serviços assim como também reconhecer a dimensão dos prejuízos causados pela pandemia na concessionária. Abaixo, você pode acessar cada um dos requerimentos aprovados na Câmara de Vereadores de Lages. 


Nas redes sociais, não são poucos os comentários criticando o serviço prestado nos últimos meses. Alguns usuários relatam que a higienização nos horários de pico não ocorre, somente nos demais horários com menor movimento. Outra crítica bastante comum é a adoção, por parte da empresa, de algumas linhas que só aceitam cartão e não em dinheiro. "A gente fica esperando uma hora no ponto, para quando vem, tem essa folia de não aceitar dinheiro", relatou uma usuária.


O outro lado

Entramos em contato com a assessoria de imprensa da Transul na qual encaminhamos alguns questionamentos tais como a previsão de retorno a normalidade no oferecimento de todas as linhas existentes antes da pandemia, ou ao menos, um reforço a mais nas linhas que estão atendendo atualmente com maior número de ônibus e horários disponíveis, porém cerca de dez dias depois de enviadas até o fechamento desta matéria não recebemos as respostas, por isso, o LD decidiu por publicar a matéria e assim que elas forem nos enviadas, esta matéria será atualizada colocando o posicionamento oficial da empresa. 

E você, o que está achando do serviços prestados no transporte coletivo em Lages? Comente, abaixo. 


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog