Pela segunda semana consecutiva, SC tem 15 das 16 regiões no nível gravíssimo do Mapa de Risco da Covid-19

Planalto Norte e Serra Catarinense foram as regiões que receberam as piores notas em todos os quesitos analisados pela Secretaria de Estado da Saúde (SES). 

Do LD
Lages/SC

Fotos: SES

O Governo do Estado, através da Secretaria de Estado da Saúde (SES) divulgou neste sábado (29), a Matriz de Risco Potencial da Covid-19, e aponta que pela segunda semana consecutiva, 15 das 16 regiões continuam em nível gravíssimo (vermelha), enquanto a Grande Florianópolis permanece no nível grave (laranja). 


De acordo com a matriz, todas as regiões, inclusive a Grande Florianópolis, foram avaliadas no risco máximo (nota 4), ou seja, em nível gravíssimo no quesito capacidade de atenção, o que avalia a taxa de ocupação de leitos de UTI Covid. 


Serra Catarinense permanece no pior nível em todos os quesitos



Nos quatro quesitos analisados pela matriz, que são: evento sentinela (elevação do número de mortos); transmissibilidade (variação do número de casos); monitoramento (número de exames RT-PCR para Covid-19 processados pelo Lacen); e capacidade de atenção (ocupação dos leitos de UTI), a Serra Catarinense recebeu a pior nota, que é 4,0 em três quesitos, e 3,5 em outra. Além da região, o Planalto Norte recebeu 4,0 em todos os quesitos, configurando entre as piores situações do nível gravíssimo. 

Confira abaixo a situação em cada quesito: 
  • Evento Sentinela
As regiões ainda registram alta ocorrência de óbitos, sendo que 13 estão no nível gravíssimo; duas no nível grave e apenas uma no nível alto. 
  • Transmissibilidade
Todas as regiões de Santa Catarina estão classificadas no nível grave ou gravíssimo para o aumento de casos da Covid-19, sendo nove estão no nível grave e sete no nível gravíssimo. 
  • Monitoramento
O percentual de positividade dos exames processados está acima de 30% na maior parte do Estado, sendo que das 16 regiões, oito estão no nível grave, seis estão no nível grave e outras duas estão no nível alto. 
  • Capacidade de atenção
Todas as regiões estão classificadas em nível gravíssimo, ou seja, encontram-se em alerta máximo para a ocupação de leitos de UTI reservado Covid-19. 


Comentários