Ex-motorista Robson Oliveira, preso na Rússia recebe indulto, diz Bolsonaro

Robson Oliveira estava preso desde 2019 após entrar no país europeu com uma substância proibida no país, porém, liberado no Brasil. Ele deve retornar ao Brasil na quarta-feira (5). 

Do LD
Lages/SC

Foto: REPRODUÇÃO

O brasileiro Robson Oliveira, ex-motorista do jogador de futebol Fernando, e que estava preso na Rússia desde 2019, por posse de substância não permitida pelas autoridades russas, recebeu indulto — perdão da pena — por parte do governo russo, informou o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro (sem partido) na manhã deste domingo (2). 


De acordo com Bolsonaro em rápida passagem pela entrada do Palácio da Alvorada, o brasileiro já está na embaixada do Brasil na Rússia e sua volta ao país está programada para ocorrer na próxima quarta-feira (5). 

"Depois de meses de negociação com o governo russo, com quem mantemos um excelente relacionamento, o Robson, ex-motorista do jogador Fernando, que estava detido há dois anos, já se encontra na embaixada brasileira".
               Jair Bolsonaro, presidente do Brasil 

A informação do indulto de Robson foi informada ao presidente pelo ministro das Relações Exteriores, Carlos França, que esteve na manhã deste domingo (2) no Palácio da Alvorada. 

Reunião

Em uma rede social, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) divulgou um vídeo na qual agradece o presidente russo Vladimir Putin, e também mostra uma conversa que teve por telefone com Robson, na manhã deste domingo. 

Bolsonaro disse a Robson que pretende se encontrar com ele na semana que vem em Brasília. A ideia é que o encontro seja realizado no Palácio do Planalto. 




Entenda o caso

Robson Oliveira foi detido em 2019 ao chegar na Rússia por portar um medicamento que continha a substância cloridrato de metadona — proibida no país, porém liberado no Brasil, e seria uma encomenda feita pela família do jogador Fernando, à época jogador do Spartak Moscou. Atualmente, Fernando joga no time chinês Beijing Guoan. 

O ex-motorista acabou posteriormente sendo julgado e condenado a três anos de detenção. 

O Brasil, através do presidente Jair Bolsonaro e do Itamaraty mantiveram contato com o governo russo e também com o presidente Vladimir Putin, na intermediação pedindo a liberação do brasileiro, devido a substância não ser proibida no Brasil. 

O indulto ocorreu em virtude da comemoração da Páscoa na Igreja Ortodoxa, religião com maior número de seguidores na Rússia. 

Comentários