Continuam as tratativas em relação ao projeto de lei do comércio ambulante em Lages

O objetivo é ouvir todas as partes interessadas no teor do Projeto de Lei Complementar 003/2021. 

Por ALEX BRANCO da CÂMARA DE LAGES
Lages/SC

Fotos: ALEX BRANCO / CÂMARA DE LAGES

Após ter aberto espaço em reunião da Comissão de Legislação, Justiça e Redação (CLJR) aos representantes das categorias de food truck, artesãos, vendedores ambulantes e demais profissionais do segmento. Desta vez, a CLJR, presidida pelo vereador Agnelo Miranda (PSD), oportunizou a manifestação por parte da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL-Lages), representada pelo presidente Zulmiro Klann e o diretor-executivo Jhonatan Silva, e também a Associação Empresarial de Lages (Acil), representada por Célio Bueno, vice-presidente do comércio na Acil e vice-presidente administrativo na CDL.

O objetivo é ouvir todas as partes interessadas no teor do Projeto de Lei Complementar 003/2021, Na tarde de quinta-feira (20), a Comissão da Casa Legislativa observou atentamente o ponto de vista dos gestores das entidades de classes acima citadas. 


Zulmiro Klann declarou que as questões sanitárias, a segurança ao consumidor e a procedência do produto são fatores determinantes na fiscalização pelo poder público. Segundo ele, as concessões de espaço devem seguir as normas previstas em lei. "A Acil e a CDL não querem impedir as pessoas de trabalhar, pelo contrário, queremos ajudar aqueles que sonham em ampliar seus negócios, com linha de crédito através de cooperativas parceiras. Queremos resultado e oportunidade para todos” afirmou.

Para Jhonathan Silva, “os direitos são de todos, cada um dos lados terá de ceder um pouco até que achemos um ponto de equilíbrio, sem prejudicar um lado ou outro”. Célio Bueno citou alguns locais públicos do município que poderiam abrigar algumas categorias de trabalhadores e sugeriu que se estude a viabilidade para construir outros espaços. “Temos a praça Joca Neves pouco utilizada, seria importante criar um lugar tipo camelódromo, espaço para feiras, exposições, devemos pensar como um todo e construirmos juntos uma solução”, finalizou o empresário.

Comentários