Maior reservatório de água do município de Lages, com capacidade de armazenar seis milhões de litros, estará com 60% do espaço ocupados até este sábado

O R1 atenderá os bairros Centro e outros próximos, além do Frei Rogério, São Paulo, São Francisco, Cidade Alta e Santa Catarina e loteamento Araucária. 

Por DANIELE MENDES DE MELO* da ASCOM PML
Lages/SC

Foto: GREIK PACHECO / ASCOM PML

Instalado em um terreno situado ao lado da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri), bairro Morro do Posto, na rua Professor Simplício, o Reservatório número 1 de água (R1) totalizará 60% do seu espaço já preenchidos neste sábado (17 de abril). Não haverá falta de água por este motivo.


O enchimento do novo reservatório iniciou há pouco tempo. Nesta próxima semana, a Secretaria Municipal de Águas e Saneamento (Semasa) entregará o novo equipamento à população.

O aparelho, confeccionado de matéria-prima metálica (aço), possui capacidade para armazenar seis mil metros cúbicos de água - seis milhões de litros, e de bombeamento de até seis mil litros de água por segundo. Deste modo, será elevada em 33% a quantidade de água reservada para distribuição à população da área pertinente a este novo tanque.

O Reservatório número 1 compreende infraestrutura de concreto, em forma circular e com paredes de dez metros de altura, a qual comporta um tanque metálico capaz de armazenar seis mil metros cúbicos de água tratada, suficiente para abastecer a área central da cidade. O R 1 atenderá os bairros Centro e outros próximos, além do Frei Rogério, São Paulo, São Francisco, Cidade Alta e Santa Catarina e loteamento Araucária.

Estas novas instalações estão localizadas na mesma área do antigo reservatório, sendo que este bombeia apenas 300 litros por segundo. A concretagem iniciou em julho de 2020. A empresa construtora do novo reservatório é a SM7 Engenharia Tecnologia e Importação - Tanks BR.

Nesta estrutura foram investidos R$ 2.940.723,27, recursos financeiros provenientes da arrecadação da Semasa junto à comunidade por intermédio de seus pagamentos de tarifas. Todos os reservatórios de Lages têm capacidade de armazenar cerca de 15 milhões de litros de água tratada, ou seja, somente o novo reservatório terá quase a metade da capacidade de armazenamento dos outros.

Sobre o antigo R 1, feito de concreto, já estão desativados cerca de 50% da sua operação, o que deverá estar gradativa e completamente concluído no prazo de mais alguns meses, em função do início da utilização do novo reservatório. Este antigo tanque será demolido e dará lugar a mais um novo reservatório, também com capacidade para armazenar seis milhões de litros de água potável.

Reservatório no Guarujá e adjacências

Existe uma previsão de que seja implantado mais um reservatório de seis mil metros cúbicos (seis milhões de litros) na região do bairro Guarujá, um dos mais populosos de Lages e em área em crescimento e desenvolvimento econômico expressivos. “Este benefício do novo reservatório no Morro do Posto está em processo de entrega à comunidade com efetiva entrada em funcionamento, lembrando que em relação às regiões do Guarujá e Vila Mariza, ambas em amplo desenvolvimento, dialogamos com a Semasa para já começar um estudo para que possamos nos prevenir e nos anteciparmos e toda a região possa continuar com quantidade e qualidade na água. Registro que estes investimentos em dispositivos e modernização no abastecimento de água, saneamento, prevenção e melhoria de toda a rede, somente podem ser possíveis porque desde o início da primeira gestão, em 2017, 100% dos recursos arrecadados pela Semasa são reinvestidos no próprio sistema, em favor das pessoas”, salienta o prefeito Antonio Ceron, em visita ao R 1 na manhã desta sexta-feira (16 de abril), junto ao secretário municipal de Águas e Saneamento, Jurandi Agostini.

A Semasa atua frequentemente na manutenção das redes e para evitar o desperdício. “O montante de recursos junto é revertido em melhoramento no sistema de tecnologia de distribuição de água. Inclusive, há quatro anos, para cá, não tivemos tantos problemas relacionados à água, a não ser quando somos surpreendidos por uma ocorrência de rompimento na rede. Sobre o restante conseguimos manter o fornecimento à cidade inteira, e a qualidade da água extremamente boa”, pontua o secretário municipal, Jurandi Agostini.

*Com colaboração de Iran Rosa de Moraes e Aline Tives

Comentários