Prefeito Ceron recebe secretário de Estado da Saúde para discutir alternativas de enfrentamento da Covid-19

Há a possibilidade de abertura de mais 34 leitos de UTI na ala nova do Hospital Tereza Ramos nas próximas duas semanas e nove leitos serão abertos dentro de alguns dias. 

Por ALINE TIVES da ASCOM PML
Lages/SC

Foto: GREIK PACHECO / ASCOM PML

O secretário de Estado da Saúde, André Motta Ribeiro, que está percorrendo as regiões em estado mais crítico da pandemia em Santa Catarina, passou a manhã desta sexta-feira (12 de março) em Lages. Visitou o Hospital Tereza Ramos e em seguida se reuniu com o prefeito Antonio Ceron, em seu gabinete, juntamente do secretário municipal da Saúde de Lages, Claiton Camargo de Souza e os diretores dos hospitais Nossa Senhora dos Prazeres, Seara do Bem e o próprio Tereza Ramos. Também participaram do encontro a deputada federal Carmen Zanotto e o deputado estadual Marcius Machado.


O objetivo do encontro foi verificar as dificuldades e demandas locais de cada instituição para buscar soluções e alternativas diante do agravamento da pandemia do novo coronavírus na região. “Precisamos unir esforços nesta luta. Estamos no momento mais crítico e precisamos criar alternativas para atender a população”, comenta o prefeito.

Novos leitos de UTI serão abertos

Há possibilidade de abertura de mais 34 leitos de UTI na ala nova do Hospital Tereza Ramos nas próximas duas semanas e nove leitos serão abertos dentro de alguns dias. O diretor Maurício Batalha explica que as obras serão retomadas. “A empresa tem um prazo de 60 dias para conclusão, mas o Estado quer antecipar o funcionamento de alguns setores, o que poderá possibilitar a abertura desses novos leitos”, afirma.

O hospital conta atualmente com 36 leitos de UTI. “Temos uma velocidade de demanda muito maior que a capacidade de oferta. Estamos equipando hospitais de menor porte para atender a todos que precisam. Vivenciamos uma crise de logística, de estoque de insumos e dificuldades na contratação de profissionais capacitados, realidade sentida não somente em Santa Catarina, mas em todo país. Temos o compromisso de solucionar os problemas e encontrar alternativas. Dos 380 pacientes que aguardam leito de UTI em Santa Catarina, 240 estão sendo atendidos em hospitais de alta complexidade”, argumenta o secretário de Estado da Saúde, André Motta.

Durante a reunião, os gestores dos hospitais trocaram informações sobre as estratégias adotadas por cada instituição no enfrentamento da pandemia, como onde conseguir insumos mais rapidamente. Será necessária a aquisição imediata de mais medicamentos, kits intubação, bombas de infusão e outros insumos como agulhas e seringas. Outra dificuldade é quanto aos respiradores, pois o Estado não possui mais em estoque para distribuir para os hospitais e precisa ser comprado, assim como outros equipamentos poderão ser locados de empresas fornecedoras. “Estamos numa corrida contra o tempo. Os recursos financeiros estão garantidos pelo Estado para a aquisição de insumos, então a orientação é que os hospitais façam isso o mais rápido possível e comprem quantidades maiores”, afirma o secretário André Motta.

Realidade em Lages

O secretário municipal da Saúde, Claiton Camargo, atualizou alguns números da realidade em Lages e apontou que neste momento há 213 internados nos hospitais da região, 26 pessoas aguardam leitos de UTI, quatro precisam de enfermaria e há pessoas entubadas no Centro de Triagem e na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) por falta de leitos de terapia intensiva. “O ritmo de transmissão está extremamente alto. Tivemos 400% de aumento de casos ativos na última semana e faltam profissionais de saúde. Remanejamos equipes das Unidades Básicas de Saúde para atuar no atendimento de pacientes Covid e abrimos, em 15 dias, mais 123 leitos de enfermaria em hospitais de outros municípios da região. Mas na mesma medida que novos leitos são abertos, eles são ocupados imediatamente”, afirma.

Comentários