Caso dos respiradores: Impeachment é aprovado, Moisés é afastado e Daniela Reinehr assume governo do Estado

Em julgamento de mais de 12 horas, tribunal formado por cinco desembargadores e cinco deputados decidiu por 6 a 4, afastar o governador de suas funções por até 120 dias. 

Do LD
Lages/SC

Foto: MAURÍCIO VIEIRA / SECOM

O governador Carlos Moisés (PSL) foi afastado do cargo no final da noite desta sexta-feira (26) após 14 horas de julgamento do tribunal misto formado por cinco desembargadores e cinco deputados estaduais que decidiram por 6 votos a 4, pelo prosseguimento do processo de impeachment de Moisés no caso dos 200 respiradores comprados pelo Governo do Estado no ano passado pelo valor de R$ 33 milhões. Com a decisão desfavorável ao governador, ele será afastado do cargo por até 120 dias, e a vice-governadora Daniela Reinehr (sem partido) assume o comando do Estado. 


A votação iniciou pela manhã e já nos primeiros votos, o caminho se mostrava nebuloso para o governador no julgamento ao receber três votos favoráveis ao prosseguimento do processo de impeachment entre os quatro primeiros votos, entre eles o da relatora do caso, a desembargadora Rosane Portella Wolf.

Com a decisão, agora iniciam os procedimentos de produção de provas e depoimentos, e a partir da base desses indícios e provas produzidas, o tribunal de julgamento volta a se reunir para decidir se Carlos Moisés teve culpa no caso e deve sofrer o impeachment ou se deve ser absolvido e reconduzido ao cargo.

No primeiro processo de impeachment relacionado ao aumento no salário dos procuradores julgado no ano passado, os desembargadores foram na maioria favorável ao governador, mas acabou sendo afastado pelos votos dos deputados estaduais. Desta vez, a decisão praticamente foi inversa com quatro deputados votando a favor de Carlos Moisés, mas acabou ficando sem os cinco desembargadores, e ainda contou com mais o voto contrário do deputado Laércio Schuster (PSB).

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog