Polo de Lages forma a primeira turma do Curso de Técnicas em Agronegócio

Depois de dois anos de aprendizado, mais de 30 participantes iniciaram nesta quinta-feira (11), a apresentação à banca, da defesa dos trabalhos de conclusão. 

Da ASSESSORIA DE IMPRENSA DO SINDICATO
RURAL DE LAGES
Lages/SC

Foto: PAULO CHAGAS

A nova modalidade de qualificação rural instalada em março de 2019, junto ao Sindicato Rural de Lages, através do Curso de Formação Técnica em Agronegócio, e que visa aprimorar jovens e adultos que vivem e trabalham no campo está chegando ao final. Depois de dois anos de aprendizado, mais de 30 participantes iniciaram na manhã desta quinta-feira (11), a apresentação à banca, da defesa dos trabalhos de conclusão. Tudo feito individualmente, a partir de agendamento, seguindo todos os protocolos de segurança quanto ao coronavírus. O curso propiciado pelo Senar, faz parte da Rede e-Tec Brasil, programado pelo Ministério da Educação (MEC).

Todo o projeto de aplicação do Curso foi desenvolvido em parceria entre o Sindicato Rural, o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural, e a Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (Faesc). As aulas presenciais foram ministradas junto ao polo de Lages, instalado no segundo piso da sede do Sindicato Rural, num espaço que conta com três modernas salas de aula, biblioteca e auditório. Ao todo, foram mais de mil horas de aulas presenciais e semipresenciais aplicadas, mesmo com as dificuldades neste último ano em função da pandemia. O que facilitou a conclusão do Curso foi a metodologia híbrida com o uso de uma parte em plataforma virtual à distância, com aulas presenciais no polo, além das visitas técnicas nas propriedades.

Conforme a coordenadora da rede e-Tec/SC, Kátia Zanela, 100% dos alunos são produtores, e, em seus projetos finais eles trazem realidades das propriedades deles, e que serão implantados agora com melhoria na gestão. Por outro lado, desde 2015, já são quase 600 técnicos formados em 12 polos de apoio presencial. Segundo relata, há cases de sucesso em que os alunos depois de formados conseguiram mudar a gestão das propriedades. “Alguns outros queriam abandonar o campo, mas depois acabaram fazendo a sucessão familiar, o que torna o curso bastante gratificante para o setor rural do Estado”, reforça.

Ainda segundo a Kátia, neste ano em Santa Catarina, apesar da pandemia, o Curso Técnicas em Agronegócio teve mais de 700 inscritos no processo seletivo. Somente em Lages com o número de interessados daria para formar quase três turmas de 40 alunos. Por fim, o sob o testemunho dos participantes, a metodologia do curso facilita, pois, não seria possível se deslocar todos os dias para as aulas, o que seria bem mais complicado. “Os proponentes vêm em busca de uma expertise voltada para o campo, do aprender fazendo, e está dando certo”, conclui.



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog