Superintendente de Vigilância em Saúde visita centro de distribuição para acertar detalhes da logística de vacinação

Mais de 5,3 milhões de unidades, entre seringas e agulhas, já foram encaminhadas aos municípios catarinenses. 

Por FABRÍCIO ESCANDIUZZI da ASCOM SES
Florianópolis/SC

Foto: Robson Valverde / SES

Após ser anunciado como novo superintendente de Vigilância em Saúde (SUV) de Santa Catarina, Eduardo Macário visitou o centro de distribuição onde estão armazenadas as seringas e agulhas que serão utilizadas para a vacinação contra a Covid-19 em Santa Catarina.

Macário já acompanha o trabalho de logística que será realizado para o envio de insumos e da vacina. Mais de 5,3 milhões de unidades, entre seringas e agulhas, já foram encaminhadas aos municípios.

O novo superintendente ressaltou que a partir da autorização da Anvisa e da disponibilização da vacina, o Estado está preparado para fazer toda a parte logística, com a recepção e a distribuição para as regionais e, consequentemente, para os municípios. A campanha de vacinação contra a Covid-19 contará com o apoio de todas as estruturas do Governo do Estado. 

Santa Catarina está alinhada ao Plano Nacional de Imunização, assim a responsabilidade da compra das doses de vacina é do Governo Federal. Há um valor de R$ 300 milhões separados em caixa para a aquisição de vacinas por parte do Governo do Estado, caso seja necessário.

Estoques atuais e previsão

A distribuição de materiais e insumos para os municípios já começou.  A Secretaria de Estado da Saúde conta com estoques disponíveis para o início da vacinação contra a Covid-19.

Previsão de entrega para os próximos cinco dias:

7 milhões de agulhas
500 mil seringas

Para esse cálculo a SES não está considerando as aquisições realizadas diretamente pelos municípios e nem os estoques já entregues aos hospitais para a vacinação das equipes destas unidades. Além disso, outras atas para aquisição estão em aberto. Ressalta-se que a Secretaria de Estado da Saúde já oficializou o Ministério da Saúde para que as requisições de estoques de empresas sediadas em Santa Catarina permaneçam à disposição do Estado. 
Lages Diário

Comentários