Sebrae retoma programa com foco no desenvolvimento de empresas

O programa Sebraetec atua no campo de consultorias tecnológicas recomeça em 2021 com forte expectativa no avanço de novas ações visando o acesso a novos segmentos empresariais. 

Por ASCOM SEBRAE
Lages/SC

Nahyra Nara Santoro, analista técnica do Sebrae. (Foto: Paulo Chagas / DIVULGAÇÃO)

O programa Sebraetec atua no campo de consultorias tecnológicas recomeça em 2021 com forte expectativa no avanço de novas ações visando o acesso a novos segmentos empresariais. O programa é alicerçado em quatro importantes áreas de atuação: produção e qualidade; design; sustentabilidade e desenvolvimento tecnológico, que estimulam novas iniciativas empresariais.


Conforme explica a analista técnica Sebrae Nahyra Nara Santoro, o programa Sebraetec é importante facilitador ao encaminhamento de projetos e soluções às empresas, incluindo as propriedades rurais. As empresas que aderem a uma ou mais ferramentas da consultoria, e que estejam moldadas às necessidades recebem subsídio financeiro de 70% nos projetos.  “Todos os quatro eixos apresentam propostas de inovação que agilizam nas empresas a melhoria de processos de serviços e os produtos”, ressalta Nahyra.

Entre os exemplos, a opção pela sustentabilidade. Nesse ponto, a empresa pode evoluir no campo da saúde e da segurança do trabalho, além da elaboração de relatórios nestas áreas. Já no campo do design, pode ser feita toda a parte de comunicação da empresa, desenvolver a marca ou a logo, e a aplicação em todos os segmentos como cartões, fachadas, ou nos uniformes, por exemplo. “Importante lembrar que o Sebrae não manda fazer as confecções, apenas entrega o projeto”, lembra Nahyra Santoro.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



Quem pode participar?

Todos os pequenos negócios, desde que faturem até R$ 4,8 milhões por ano, sejam microempresas (ME), Empresa de Pequeno Porte (EPP) ou Microempreendedor Individual (MEI), ou pessoas físicas que estejam registradas no Sistema de Informações Cadastrais do Artesanato Brasileiro (SICAB) e tenham a Carteira Nacional do Artesão ou Carteira Nacional de Trabalhador Manual (com a carteira válida no momento do atendimento). E produtores rurais que possuam inscrição estadual de produtor, número do Imóvel Rural na Receita Federal (NIRF), declaração de aptidão (DAP) ao Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf); ou Registro de Pescador. Para tanto, basta procurar o Sebrae na sua cidade e obter mais informações”, conclui a técnica Nahyra. 
Lages Diário

Comentários