REPERCUSSÃO: confira o que autoridades falaram sobre a invasão ao Congresso dos EUA

Em sua grande maioria, criticaram às invasões e consideraram os atos como antidemocráticos. 

Lages/SC

Foto: Saul Loeb/AFP

A invasão ao Capitólio onde fica o Congresso dos Estados Unidos ocorrido nesta quarta-feira (6) por manifestantes pró-Trump causando confusão e interrompendo a sessão que validaria a eleição do presidente eleito Joe Biden. A maioria insuflada pelo próprio Donald Trump que não aceita a derrota e voltou a afirmar, sem provas, de que a eleição foi fraudada. 


Confira abaixo, a repercussão causada pela invasão em um ato antidemocrático na maior democracia do mundo: 

  • Joe Biden, presidente eleito dos EUA

"Apelo ao presidente Trump para ir à televisão nacional AGORA, para cumprir seu juramento e defender a Constituição, e exigir o fim deste cerco."

  • Donald Trump, presidente dos EUA

"Por favor, apoie a nossa Polícia e Polícia do Capitólio. Eles estão verdadeiramente do lado do nosso país. Fique em paz!"

"Peço a todos no Capitólio dos EUA que permaneçam em paz. Sem violência! Lembre-se, NÓS somos o Partido da Lei e da Ordem - respeite a Lei e nossos grandes homens e mulheres em Azul. Obrigado!"

  • Kamala Harris, vice-presidente eleita dos EUA

"Eu me juntei ao presidente eleito Joe Biden em pedir o fim do ataque ao Capitólio e aos servidores públicos de nossa nação e, como ele disse, 'permitir que o trabalho da democracia avance'." 

  • Mike Pence, vice-presidente dos EUA

"A violência e a destruição que estão ocorrendo no Capitólio dos EUA devem parar, e devem parar agora. Todos os envolvidos devem respeitar os policiais e deixar o prédio imediatamente. Protestos pacíficos são direito de todo americano, mas este ataque ao nosso Capitólio não será tolerado e os envolvidos serão processados em toda a extensão da lei." 

  • Boris Johnson, primeiro-ministro do Reino Unido 

"Cenas vergonhosas no Congresso dos EUA. Os Estados Unidos representam a democracia em todo o mundo e agora é vital que haja uma transferência de poder pacífica e ordeira." 

  • Nancy Pelosi, presidente da Câmara, e Chuck Schumer, líder democrata no Senado

"Estamos convocando o presidente Trump para exigir que todos os manifestantes deixem o Capitólio dos EUA e seus terrenos imediatamente." 

  • Kevin McCarthy, líder dos republicanos na Câmara

"O que está acontecendo é inaceitável e anti-americano. Isso tem que parar." 

  • Organização dos Estados Americanos (OEA)

"A Secretaria-Geral da OEA condena e repudia o ataque às instituições que está sendo realizado hoje nos Estados Unidos por manifestantes que desconhecem os recentes resultados eleitorais. A democracia tem seu pilar fundamental na independência dos Poderes do Estado, que devem atuar totalmente livres de pressões. 

O exercício da força e o vandalismo contra as instituições constituem um sério atentado ao funcionamento democrático. 

Urge recuperar a racionalidade necessária e encerrar o processo eleitoral de acordo com a Constituição e os procedimentos institucionais correspondentes".

  • Sebastian Piñera, presidente do Chile 

"Chile rejeita ações que visem alterar o processo democrático nos Estados Unidos e condena a violência e interferência indevida nas instituições constitucionais. 

O Chile conta com a força da democracia dos Estados Unidos para garantir a lei e o Estado de Direito." 

  • Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados do Brasil 

"A invasão do Congresso norte-americano por extremistas representa um ato de desespero de uma corrente antidemocrática que perdeu as eleições. Fica cada vez mais claro que o único caminho é a democracia, com diálogo e respeitando a Constituição."

  • Davi Alcolumbre, presidente do Senado e do Congresso Nacional Brasileiro

"As imagens da invasão ao Congresso americano, em uma tentativa clara de insurreição e de desprezo ao resultado das eleições por parte de um grupo, são inaceitáveis em qualquer democracia e merecem o repúdio e a desaprovação de todos os líderes com espírito público e responsabilidade. 

O Senado brasileiro acompanha atentamente o desenrolar desses acontecimentos, enviando aos congressistas e ao povo americano nossa solidariedade e nosso apoio. Defendo, como sempre defendi, que a democracia deve ser respeitada e que a vontade da maioria deve prevalecer." 

  • Luís Roberto Barroso, ministro do STF

No triste episódio nos EUA, apoiadores do fascismo mostraram sua verdadeira face: antidemocrática e truculenta. Pessoas de bem, independentemente de ideologia, não apoiam a barbárie. Espero que a sociedade e as instituições americanas reajam com vigor a essa ameaça à democracia." 

Até o fechamento desta matéria, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) não havia se manifestado sobre o ocorrido nos EUA. 

*Com informações de agências internacionais e G1

Lages Diário

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog