Micro e pequenas empresas superam barreiras por meio da inovação

Especialistas denominados de Agentes Locais de Inovação se reuniram no Sebrae Lages para avaliar os mecanismos que estão sendo utilizados em 120 pequenas empresas atendidas pelo projeto de alcance de produtividade. 

Por ASSESSORIA DE IMPRENSA DO SEBRAE
Lages/SC

Foto: DIVULGAÇÃO

Nesta terça-feira (26), especialistas denominados de Agentes Locais de Inovação (ALI) estiveram reunidos no Sebrae Lages para avaliar os mecanismos que estão sendo utilizados em 120 pequenas empresas atendidas pelo projeto de alcance da produtividade. A aplicação se dá até meados de março de 2021, quando se inicia o atendimento a novas empresas. Na Região de Lages, seis profissionais capacitados modulam 20 empresas cada, com o objetivo de promover inovações, a partir da aplicação de métodos avançados. A contemplação é dirigida a pequenos negócios, podendo ser uma padaria ou uma oficina mecânica. O propósito é gerar resultados concretos, seja no aumento de receita, redução de custos, ou aumento de produtividade.


Conforme explica o gestor estadual do projeto ALI, Denilson Coelho, a produtividade é considerada vital para e economia brasileira, a fim de que ela se torne compatível com os melhores países. O projeto de Agentes Locais de Inovação (ALI), através do Sebrae, vem sendo trabalhado desde 2011 e é uma das ferramentas utilizadas para introduzir a inovação e a busca de resultados. No caso da edição atual iniciada em novembro de 2020 e que acontece em todo o Brasil, se origina de uma parceria maior envolvendo o Sebrae, o Ministério da Economia, Agência Brasileira de Desenvolvimento Indústria (ABDI), Senai, ou seja, instituições que se reuniram para tratar diretamente sobre a produtividade nas empresas.

O primeiro passo é o do diagnóstico para entender como a empresa está. A partir do quesito inovação observam-se várias vertentes do negócio. É neste momento em que entra o Agente Local de Inovação. E, junto com o empresário inicia o estudo ou um plano de ação para melhorar a produtividade do negócio, cada qual, com sua forma de atuação. O processo se dá num período de quatro meses, num tempo em que ao lado do empresário é medida a produtividade, e feita a inclusão de processos, os quais, geram maior incremento, e que podem resultar em maior faturamento e redução de custos. Portanto, o empresário será capaz de entender se está ou não conseguindo melhorar no quesito produtividade.

“Caso as micro e pequenas empresas conseguirem melhorar a produtividade de pessoas ocupadas, que representam 52% dos trabalhadores do Brasil, o Sebrae que está engajado neste processo ao lado do Ministério da Economia estará colaborando fortemente no incremento na produtividade nacional”, conclui Denilson. 
Lages Diário

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog