Chefe da Mercedes elogia Russell: nasce uma estrela e céu é o limite

Wolff parabenizou o piloto que substituiu Hamilton no GP de Sahkir. 

Por ALAN BALDWIN da REUTERS
Londres/ING

Foto: Tolga Bozoglu / Pool via REUTERS

O céu é o limite para George Russell após o excelente desempenho do jovem britânico como substituto de Lewis Hamilton no Grande Prêmio de Sakhir, de acordo com o chefe da equipe Mercedes de Fórmula 1, Toto Wolff.
O piloto de 22 anos aproveitou a oportunidade para brilhar na corrida de domingo no Bahrein e consolidou seu status como candidato a piloto titular da Mercedes, mesmo que as esperanças de uma vitória impressionante tenham sido cruelmente frustradas.
"Não vai ser a última tentativa dele de vencer uma corrida, é apenas o começo de um conto de fadas que não deu certo hoje", disse Wolff à Sky Sports depois de parabenizar e lamentar na mesma medida. “Eu diria que está nascendo uma nova estrela.”
"Lewis é a referência absoluta, é o que seu histórico diz e ninguém está perto dele. Mas hoje vimos que há uma nova geração chegando que pode ser muito forte", acrescentou o austríaco.
"Eles são muito jovens, na casa dos 20 anos. O céu é o limite."
Esteban Ocon, francês de 24 anos que era piloto do programa de jovens da Mercedes antes de se transferir para a Renault, terminou em segundo na corrida de domingo (6), com o canadense Lance Stroll, de 22 anos, em terceiro pela Racing Point.
Sergio Pérez, da Racing Point, ganhou sua primeira corrida aos 30 no domingo (6), mas o grid está cheio de jovens talentos - Max Verstappen, da Red Bull, e Charles Leclerc, da Ferrari, já conquistaram vitórias e ainda têm apenas 23 anos.
Lando Norris, da McLaren, tem 21 anos - a mesma idade do filho de Michael Schumacher, Mick, coroado campeão de F2 no domingo (6) e que vai estrear na F1 com a Haas no próximo ano. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Corpo do músico Guilherme Steffen é encontrado no Guará, em Lages

Inscrições para cursos técnicos gratuitos no IFSC de Lages estão abertas

Músico Guilherme Steffen continua desaparecido