Carmen Zanotto pede por união entre governo e parlamento por mais recursos para a Saúde em 2021

No próximo ano, a regra do orçamento emergencial para enfrentamento à pandemia deixa de existir, e isso fará, com que o SUS volte a ser submetido ao rigor da Emenda Constitucional 95/2016, que congelou investimentos em saúde e demais áreas sociais até 2036. 

Lages/SC

Foto: Michel Jesus / CÂMARA DOS DEPUTADOS

Em reunião com representantes do Ministério da Saúde, dos Conselhos de Secretários Estaduais (Conass) e Municipais (Conasems) de Saúde, das Santtas Casas e Hospitais Filantrópicos,  a deputada Carmen Zanotto (Cidadania-SC), relatora da Comissão Externa de Enfrentamento à Covid, defendeu que o governo e o Parlamento façam um esforço para garantir mais recursos para a saúde no próximo ano. 


Segundo a parlamentar, a pandemia neste ano provocou o adiamento de vários procedimentos e com isso, consequentemente o represamento destes procedimentos para o próximo ano, e os recursos previstos no Orçamento para 2021, na ordem de R$ 123,8 bilhões serão insuficientes para realizar tais serviços, assim como ampliar atendimentos, e claro, manter os atendimentos em relação ao coronavírus, que não deixará de existir em 2021. 

Aliás, em 2021, o orçamento emergencial para enfrentamento à pandemia que permitiu neste ano o governo extrapolar o teto de gastos não irá existir mais, ou seja, o SUS voltará a ser submetido ao rigor da Emenda Constitucional 95/2016, o famoso "teto de gastos" que congelou os investimentos em saúde e demais áreas sociais por 20 anos, sendo concluído apenas em 2036.

"A nossa previsão é de que 2021 será dois anos em um. É preciso um esforço desta Casa [Congresso] e do governo para que possamos ampliar este orçamento". 
 Carmen Zanotto, deputada federal do Cidadania-SC

Uma estimativa do Conselho Nacional de Secretários Estaduais de Saúde (Conass), aponta que há cerca de um bilhão de procedimentos que acabaram sendo represados em 2020. 

O assunto deverá ser levado pela Comissão Externa de Enfrentamento à Covid-19 para a próxima reunião da Comissão Mista de Orçamento, que tem relatoria do senador Márcio Bittar (MDB-AC). 

Lages Diário

Comentários

  1. Meu não da de entender ninguém o ministro da educação deu uma entrevista que as aulas presenciais p começarem 01 primeiro de março vai entender esses poucos

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Enquete: participe e vote em quem você acha que será a rainha da Festa do Pinhão 2019

Empresário Lucas De Zorzi morre em acidente no Cânion Espraiado em Urubici

Acidente entre carro e trator deixa três pessoas feridas em Palmeira