Sistema de videomonitoramento compartilhado auxilia na proteção de 11 bairros em Lages

A solução de segurança colaborativa também é executada em estados como São Paulo, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e Paraná.
 
Por THAINÁ RODRIGUES da ORGANIKA EXPERIÊNCIAS
EM COMUNICAÇÃO
Florianópolis/SC

Foto: Divulgação


A tecnologia já é aliada das pessoas em diversos setores. A segurança é uma das áreas que tendem a crescer utilizando-se dos recursos tecnológicos tanto para o setor privado quanto para o público. Porém, como consumidores, os cidadãos buscam por soluções que atendam suas necessidades e também sejam viáveis economicamente. E pensando nisso surgiu o sistema de videomonitoramento compartilhado Khronos Ao Vivo, que atende ruas, bairros, comércios e condomínios no modelo de assinatura com serviço de streaming, e que possui câmeras de segurança 24h disponíveis para os assinantes. Em Lages, 11 bairros já fazem parte desse sistema.
 
Segundo o gerente de operações da Khronos em Lages, Carlos Roberto Garcia, atualmente são cerca de 200 assinantes do sistema Khronos Ao Vivo na cidade, sendo a maioria comerciantes/moradores comuns de bairros.  “O que todos têm em comum é a necessidade de se sentirem seguros e tranquilos em seus espaços e ainda colaborarem com a segurança patrimonial de todos, já que as câmeras são compartilhadas e eles podem ter uma visão geral dos entornos”, ressalta o gerente.
 
O videomonitoramento é uma realidade em muitas residências nos dias de hoje, porém com sistemas muitas vezes planejados pelos próprios proprietários e que acabam sendo mais caros devido a necessidade de compra de equipamentos. Já com o sistema de videomonitoramento compartilhado não há necessidade de aquisição desses aparelhos, somente que os clientes estejam dispostos a ceder um espaço para instalação das câmeras e também a conexão com sua rede de wi-fi. 
 
Outros Estados vêm recebendo o sistema implantado pela empresa catarinense Khronos, como São Paulo, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e Paraná. Aliando as novas tecnologias e a colaboração entre vizinhos, está sendo possível implantar e ter acesso a uma rede de segurança moderna, inteligente, escalável e econômica.
 
Desafios gerados pela pandemia
 
O diretor de negócios da Khronos, Lucas Souza, aponta que o setor de serviços de Santa Catarina teve um aumento de 3,4% no mês de agosto, comparado ao mês de julho desse mesmo ano, porém, se considerado o crescimento do mesmo período no último ano, segundo o IBGE, são menos 4% de crescimento. “Os desafios trazidos pela pandemia serão relacionados ao novo padrão de consumo das pessoas que passarão a valorizar mais uma gestão financeira e a economia. Além disso, claro, o investimento em inovações tecnológicas que atendam a esse novo padrão dos consumidores e levam os empresários a se reinventarem”, afirma Souza.
 
O sistema de videomonitoramento Khronos Ao Vivo se encaixa dentro do atendimento dessas novas necessidades da população. A tendência de serviços colaborativos se fortalece e deve ser consolidada durante o próximo ano. 
 
“É importante ressaltar que essa solução colaborativa se dirige a segurança externa. Podendo até mesmo ser um reforço para a segurança pública, já que as imagens também podem ser cedidas para as instituições públicas, em casos necessários. Neste ano nós tivemos em Santa Catarina uma redução em alguns números de violência, até pela questão do isolamento social que ocorreu desde o mês de março. Porém, em médio e longo prazo, de acordo com o retorno das atividades, esse números devem ter um aumento novamente e soluções como o Khronos Ao Vivo são interessantes para atuar na prevenção de ações indesejadas”, finaliza o diretor de negócios.
 
Para mais informações sobre o sistema compartilhado Khronos Ao Vivo acesse: aovivo.grupokhronos.com.br.
  
Lages Diário

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Enquete: participe e vote em quem você acha que será a rainha da Festa do Pinhão 2019

Lages a Nova Iorque com a Azul, a partir de junho

Internautas reagem a Mario Motta na bancada do ‘Jornal Nacional’