O que cada candidato a prefeito em Lages pretende fazer na área da Saúde

As propostas estão nos planos de governo de cada candidato enviado ao TSE.

Por MAURÍCIO SANTOS da AGÊNCIA LD,
Lages/SC



A propaganda eleitoral em rádio e TV iniciou nesta sexta-feira (9), mas você sabe o que cada candidato a prefeito em Lages pretende fazer em áreas importantes de uma cidade, tais como a saúde, educação, infraestrutura, desenvolvimento econômico, esportes, cultura, saneamento básico, por exemplo? O Lages Diário, traz o que cada candidato elaborou em seu plano de governo para o que pretende executar, caso eleito, pelos próximos quatro anos.
 
Nesta primeira reportagem, o LD fez um levantamento das propostas de governo das seis chapas que concorrem à prefeitura de Lages, para a área da Saúde, uma das áreas que mais demandam atenção por qualquer postulante ao cargo. Veja o que cada candidato elaborou em seu plano de governo: 

+sobre as Eleições 2020
 
Airton Amaral e Ronaldo Cordeiro (PATRI)

Airton Amaral e Ronaldo Cordeiro. (Foto: Patriota / Divulgação)

Os candidatos a prefeito e vice, respectivamente, Airton Amaral e Ronaldo Cordeiro (ambos do Patriotas), em seu plano de governo planeja fazer que o foco central seja a de “tratar a doença, e ajudar o cidadão a manter se saudável: precisamos de uma cidade com foco na saúde e não na doença. Assim, entendemos que um amplo programa de melhoria da vida do lageano, incluindo prevenção, tratamento e cuidado continuado é o melhor caminho”, esclarece o documento que ainda pontua algumas das propostas na área da Saúde, confira abaixo:
  • Garantir e melhorar o acesso da população a serviços de qualidade, com equidade e em tempo adequado de atendimento das necessidades da saúde, mediante aprimoramento da política de atenção básica e da atenção especializada;
  • Ampliar o número de unidades básicas de saúde, incluindo de pronto atendimento e dando especial atenção aos exames de prevenção;
  • Ampliar a cobertura de saneamento básico na cidade, em especial onde há risco para população;
  • Incentivar a prática de esportes, criando espaços para os mesmos em ar livre;
  • Articular políticas da prefeitura na área da educação, saúde, assistência social, cultura e lazer para atendimento especializado aos idosos. Garantir a atenção integral à saúde da pessoa idosa e dos portadores de doenças crônicas e estímulo ao envelhecimento ativo.
  • Ampliar as campanhas de vacinação e prevenção, para conscientização da população e redução dos índices de doença.
Antonio Ceron (PSD) e Juliano Polese (PP)

Juliano, candidato a vice e Antonio Ceron, candidato a prefeito. (Foto: PSD / Divulgação)

O candidato à reeleição, Antonio Ceron (PSD) e seu vice, Juliano Polese (PP) em sua proposta de governo para a Saúde, destaca alguns tópicos como a descentralização da Farmácia Básica Municipal e valorização dos profissionais do setor. Confira o que diz a proposta de governo de Ceron para a Saúde:
  • Atingir 100% da cobertura da Estratégia de Saúde da Família – ESF.
  • Aumentar a periodicidade da abertura de Unidades Básicas de Saúde no período noturno.
  • Descentralizar a Farmácia Básica Municipal e criar o Programa “Remédio em Casa”.
  • Ampliar a Telemedicina e a utilização da tecnologia e inovação em saúde.
  • Humanizar o atendimento e a valorização dos profissionais do setor, com forte investimento em educação permanente e continuada.
  • Universalizar as Práticas Integrativas e Complementares em Saúde – PICS.
  • Criar e reformular os Programas da Secretaria. (UPA III, CAPS III).
  • Manter e ampliar a estrutura física, bem como a qualidade de equipamentos e materiais disponibilizados aos profissionais, visando à promoção da saúde e a prevenção das doenças.
  • Acelerar o Programa Municipal de Castração Animal.
Carmen Zanotto (Cidadania) e Samuel Ramos (DEM)

Carmen Zanotto e Samuel Ramos. (Foto: Cidadania / Divulgação)

A candidata à prefeita, Carmen Zanotto (Cidadania) e seu vice, Samuel Ramos (DEM), apresentam em sua proposta de governo pretendem implementarem ações para ampliação ao acesso de serviços prestados na área da Saúde, de forma que ele seja de maior qualidade e humanizado, e destaca também a realização de mutirões para o período de pós-pandemia, para realizar exames laboratoriais e de imagens, cirurgias eletivas e consultas especializadas. Segundo o documento da candidata, “serão 2 anos em 1 ano”, pontua. Confira abaixo as propostas para a área de saúde.
  • Ampliação ao acesso aos serviços prestados pela rede, por meio de atendimento com mais qualidade e humanizado;
  • Fortalecimento da parceria com o consórcio municipal de saúde e as instituições de ensino superior, viabilizando atendimentos especializados de saúde;
  • Realização de mutirões para o período de pós-pandemia, para realizar exames laboratoriais e de imagens, cirurgias eletivas e consultas especializadas, serão 2 anos em 1 ano;
  • Implantação da central de atendimento eletrônico dos usuários, acessível em todas as unidades de atendimento municipal;
  • Estabelecimento de metas para alcançar melhores indicadores de saúde;
  • Fortalecimento das políticas de saúde mental de prevenção e tratamento da dependência química e disponibilização de leitos para internação;
  • Aprimorar a telemedicina e a tele consulta e incrementar o prontuário eletrônico;
  • Fortalecimento da vigilância em saúde e dos serviços de assistência farmacêutica;
  • Garantir o acesso facilitado aos medicamentos de uso contínuo.
Cleimon Dias (PT) e Domingos Valente (PV)

Cleimon Dias e Domingos Valente. (Foto: PT/Divulgação)

No plano de governo do candidato do PT, o professor Cleimon Dias e seu vice, Domingos Valente (PV), salienta que apesar de desafiador, a política em Saúde de Lages não deve ser apenas a de curar doenças, mas sim, a de procurar oferecer “ações de promoção e prevenção, que são fundamentais para que as pessoas tenham uma saúde melhor” e destaca cinco diretrizes como instrumentos de articulação de políticas:

I.             Desconcentração da rede assistencial, com cuidados ascendentes e maior resolutividade na rede básica;
II.           Educação permanente, como parte do investimento nas pessoas, considerando estas a mais importantes para a realização da assistência e gestão com qualidade;
III.          Participação popular, para garantir que tudo o que foi conquistado não se perca, ao considerarmos que o controle social é o fiel curador do Sistema Único de Saúde;
IV.         Fortalecimento da capacidade executiva e gestora do município;
V.           Incorporação tecnológica como meio para melhorar a comunicação, ampliação da resolutividade assistencial e de gestão, redução do tempo assistencial, sem prejuízo do cuidado humanizado.

A melhoria do atendimento e a ampliação do acesso a serviços de saúde é um das prioridades mais elementares da administração municipal. Para isso, o plano de governo elenca algumas ações a serem realizadas:
  • Fomento às parcerias público privadas com empresas e organizações da sociedade civil para a administração de hospitais, postos e unidades de saúde.
  • Manutenção do atendimento de emergência do município, com os centros de saúde atuando como unidades de pronto atendimento através de parcerias público privadas.
  • Estabelecer como eixos organizadores dos serviços e das ações de saúde: a Promoção e Prevenção, a Vigilância à Saúde e a Atenção Básica.
  • Dar prioridade para ações de proteção à criança e o adolescente, conforme preconiza o Estatuto da Criança e do Adolescente, com dotação orçamentária especial para o setor.
  • Introduzir o consumo de alimentos orgânicos na merenda escolar e incentivar a compra de alimentos da agricultura familiar, melhorando a qualidade do alimento servido nas escolas;
  • Implantação de ciclovias e as melhorias nas calçadas também provocam melhorias na saúde da população, pois incentivam que os deslocamentos cotidianos sejam feitos de maneira ativa e com redução de poluentes atmosféricos;
  • Priorizar as ações de proteção integral à pessoa idosa beneficiária do BPC, por meio de políticas públicas interssetoriais.
Ed Antunes e Pâmela Santos (PSOL)

Ed Antunes e Pâmela Santos. (Foto: PSOL / Divulgação)

Os candidatos do PSOL a prefeito e vice, respectivamente, Ed Antunes e Pâmela Santos, pretendem entre várias ações, fortalecer as ações da Atenção Básica, reestruturar e manter o Núcleo de Apoio à Saúde da Família, implantar equipe especializada para atendimento da saúde integral da população LGBT+, confira todas as propostas anexadas no plano de governo dos candidatos do PSOL.
  • Capacitar as equipes para o manejo epidemiológico durante a pandemia e para o processo de regularização das atividades;
  • Criar serviço ambulatorial de Saúde Mental, com equipe específica, que oferte atendimento multiprofissional, Gestão Autônoma da Medicação - GAM, Práticas Integrativas e Complementares - PICs e outras estratégias coletivas para o cuidado e educação em saúde mental, além de realização de triagem para direcionamento aos serviços corretos;
  • Rever as condições de pagamento dos convênios com profissionais terceirizados (fisioterapia, nutrição, psicologia, entre outros) incrementando os valores, de acordo com a disponibilidade orçamentária do município;
  • Apoiar, em conjunto com serviços especializados em saúde psicossocial e outros setores do desenvolvimento de emprego e renda, a criação e subsídios para o fortalecimento de associações de usuários em saúde mental, visando o combate à estigmatização dessa população e promovendo alternativas para desenvolvimento de autonomia e independência de usuários e familiares;
  • Fortalecer as ações da Atenção Básica com o intuito promover estratégias de orientação à população sobre o direito à saúde sexual e a saúde reprodutiva, em que a atenção ao planejamento familiar, não ocorra somente na oferta de métodos e técnicas para a concepção e contracepção, mas também a oferta de informações e acompanhamento, num contexto de escolha livre e informada, em diferentes momentos do ciclo de vida, envolvendo a corresponsabilidade dos homens;
  • Otimizar e dar maior celeridade aos procedimentos de colocação de DIU, laqueadura e vasectomia;
  • Reestruturar e manter Núcleo de Apoio à Saúde da Família com assistente social, psicóloga e educadora física, com pelo menos 4 equipes mínimas;
  • Implantar Equipe de Serviço Especializada no atendimento em saúde integral da população LGBT+, que será responsável pelo atendimento, produção de Planos Terapêuticos Singulares e encaminhamento para especialidades;
  • Estruturar, junto à Estratégia de Saúde da Família - ESF, a realização de práticas de promoção em saúde mental de maneira coletiva e no território, em conjunto com outros dispositivos da rede, como Escolas, Centro de Referência de Assistência Social - CRAS, Associações Comunitárias, entre outros;
  • Fortalecer estratégias de atendimento e acompanhamento da população que convive com HIV e outras ISTs, incluindo ampla divulgação de informações acerca de prevenção e métodos de proteção pré e pós exposição;
  • Fortalecer estratégias de atendimento e acompanhamento da saúde integral das pessoas que trabalham com sexo; ҉ Buscar recursos financeiros, através de emendas parlamentares, para renovação do mobiliário das unidades básicas de saúde de acordo com a necessidade;
  • Ampliar e fortalecer as ações do Programa da Rede Cegonha;
  • Ampliar o oferecimento do Serviço de Atendimento Domiciliar - “Melhor em Casa” a partir de indicadores de qualidade e eficiência na sua prestação;
  • Implementar serviço de transporte de famílias em vulnerabilidade, e que residem nas localidades do interior do município, para atendimentos da rede.
Lucas Neves (PSL) e Thiago Oliveira (PODE)

Lucas Neves e Thiago Oliveira. (Foto: PSL / Divulgação)

Segundo o plano de governo do candidato a prefeito Lucas Neves (PSL) e seu vice Thiago Oliveira (PODE), “a intenção é de materializar o preceito constitucional ‘Saúde Direito de Todos e Dever do Estado’, mantendo em Lages um sistema Municipal de Saúde humanizado, coerente com os princípios norteadores do SUS, garantindo atenção integral à saúde a todo cidadão”, destaca o documento que ainda elenca algumas ações, confira abaixo:
  • Priorizar o sistema de gestão da saúde pública, introduzindo novos modelos de administração, de informatização e de profissionalização;
  • Ampliar os investimentos para garantir a universalização do atendimento;
  • Aperfeiçoar o atendimento em saúde preventiva, sobretudo no Programa Saúde da Família;
  • Monitorar e avaliar sistematicamente os indicadores de do sistema de saúde;
  • Aumentar a cobertura do saneamento básico;
  • Criar políticas públicas integradas para lidar com uso abusivo de drogas;
  • Fortalecer a ações dos programas de saúde mental;
  • Apoiar programas e projetos inovadores desenvolvidos em parceria com centros de pesquisa e desenvolvimento nacionais e internacionais nas diferentes áreas da saúde pública;
  • Descentralização da Farmácia Básica Municipal, garantindo o acesso facilitado especialmente aos mais idosos e pessoas com dificuldade de locomoção;
  • Fortalecimento e incremento das equipes do Programa Saúde da Família;
  • Ampliação do horário de atendimento nas unidades de saúde mais distantes da Unidade de Pronto Atendimento;
  • Âmbito da saúde;
  • Garantir o acesso universal e igualitário aos serviços de saúde das pessoas com deficiência em todos os níveis de complexidade, por meio do SUS;
  • Investir na formação permanente aos profissionais da área da saúde sobre todos os tipos de deficiência;
  • Investir em campanhas de prevenção de deficiências evitáveis;
  • Desenvolver um programa de atendimento precoce as crianças com sinais de autismo ou atraso no desenvolvimento em âmbito do SUS.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Enquete: participe e vote em quem você acha que será a rainha da Festa do Pinhão 2019

Lages a Nova Iorque com a Azul, a partir de junho

Internautas reagem a Mario Motta na bancada do ‘Jornal Nacional’