Variações fisiológicas imunológicas típicas da gestação podem aumentar o risco de doenças mais graves por infecções respiratórias

Em média, são realizadas 40 consultas por dia no Ceasm, acrescidas dos acolhimentos à demanda espontânea.
 
Por DANIELE MENDES DE MELO da ASCOM PML,
Lages/SC

Foto: Divulgação

A notícia de que um bebê está prestes a fazer parte da família, e a surpresa de a cada mês a curiosidade e ansiedade ainda mais aguçadas com os novos formatos e movimentos estampados no exame de ultrassom, arrancam sorrisos e suspiros de alegria de papais e mamães. Uma bela página da história da vida de uma família, mas que requer cuidados diários e permanentes por se tratar de um estado delicado até que a criança faça sua estreia à luz do mundo. Em tempos de pandemia do novo Coronavírus, gerador da doença Covid-19, as mães que estão gerando seus filhos, ou já pariram, vão ter trechos interessantes para contar aos seus pequeninos futuramente, pois esta nova realidade obrigou a todos a uma nova adaptação. O ano de 2020 marcou a população mundial e ainda está ensinando a viver.
 
O Centro de Estudo e Assistência à Saúde da Mulher (Ceasm), um dos serviços de ponta da Secretaria Municipal da Saúde de Lages, caracteriza peculiaridades da gravidez entrelaçada ao combate e prevenção ao novo Coronavírus. A coordenadora do Ceasm, enfermeira Bruna Correa Vaz, explica ser sabido que durante a gravidez a mulher passa por alterações fisiológicas e imunológicas que podem aumentar o risco de doenças mais graves por infecções respiratórias.
 
A saúde das gestantes - tempo médio de uma gravidez é de 268 dias (38 semanas e dois dias) - tende a ser mais frágil, por isto são submetidas a exames já desde a descoberta da gravidez, até bem próximo ao dia do nascimento. Entre os exames estão hemograma, tipo sanguíneo e fator Rh; glicose em jejum; urina e urocultura; testes rápidos para sífilis, HIV e hepatites B e C; ginecológicos e ultrassom, com o objetivo de diagnosticar e identificar infecções e outras alterações que podem ser tratadas previamente.
 
E em relação às gestantes e puérperas (mulheres que passam pelo período de 40 dias após o parto) que estão positivadas para Coronavírus, suspeitas ou monitoradas, são acompanhadas pela Unidade Básica de Saúde (UBS) de sua referência (abrangência geográfica) e seguem orientações de isolamento social e cuidados mediante protocolo geral do Ministério da Saúde (MS) e da Secretaria da Saúde de Lages.
 
Estas pacientes são monitoradas pelas Unidades de Saúde, deste modo, insumos e medicamentos, quando necessários, têm a disponibilização e administração orientadas por estas Unidades de Saúde. O Ceasm oferta orientações de cuidados preventivos e também serve como apoio para as Unidades Básicas de Saúde (UBSs). Na situação de gestante de alto risco, será acompanhada pelo próprio Ceasm, além da Unidade de Saúde, e este apoio será mantido após o período de isolamento social e monitoramento.
 
Em caso de agravamento de sintomas, gestantes e puérperas devem procurar o Centro de Triagem para a Covid-19, no centro da cidade. Junto à Central de Atendimento Covid-19 é possível esclarecer dúvidas e buscar informações adicionais: 3251-7601/3251-7602.

Os principais sintomas leves são febre, tosse seca e cansaço. Sintomas moderados são dor de garganta, dor de cabeça, diarreia, dor muscular e perda do olfato ou paladar. Sintomas graves são dificuldade para respirar, dor ou pressão no peito e perda da fala.
 
A missão do Poder Público em saúde deve ser sempre proteger quem dá forma ao milagre da vida, sobretudo nesta perspectiva de disseminação ampla do novo Coronavírus pela qual milhões de pessoas passaram e ainda passam em centenas de países. As gestantes devem estar extremamente vigilantes e resguardadas em favor do seu bem maior. “Desta forma é necessário um olhar muito atento para este grupo e principalmente para aquelas que possuam comorbidades preexistentes, de forma a evitarmos o agravamento dos sintomas e óbitos materno-infantis. Ainda são poucos os estudos e as evidências que nos trazem sobre o perfil da infecção por Covid nas gestantes e puérperas, sendo assim, as consequências são incertas”, avalia a coordenadora do Ceasm, enfermeira Bruna Correa Vaz. Em Lages não há registros de óbito de mulheres gestantes ou recém-nascidos por Coronavírus.
 
Você sabia? 
 
Não há evidências científicas que comprovem transmissão vertical, ou seja, de que mulheres gestantes infectadas pelo Coronavírus podem transmitir o vírus enquanto o bebê ainda permanece no útero. E depois do nascimento, as chances de a criança ser contagiada pelo vírus se a mãe estiver infectada são altas, visto que a transmissão ocorre pelo contato direto, indireto ou próximo, com pessoas infectadas. Sobre a transmissão do Coronavírus pela mãe lactante contagiada ao bebê lactente, por intermédio da amamentação, ainda não existem evidências científicas comprobatórias desta hipótese.
 
Novos enquadramentos para proteger a mulher e seu bebê em desenvolvimento
 
Este serviço público de Saúde, o Ceasm, existente em Lages há seis anos, de forma geral oferece atendimentos multiprofissionais de ginecologia, obstetrícia e mastologia, além da realização de exames preventivos, como o ao câncer do colo do útero e encaminhamento para exames em clínicas credenciadas, a exemplo da mamografia, e ao fornecimento de medicamentos na Farmácia Básica Municipal. Configura um serviço de atenção especializada que recebe pacientes provenientes das Unidades Básicas de Saúde (UBSs), ordenadores do cuidado. São 13 o total de servidores atuantes no Ceasm, distribuídos entre as funções de médico (as), enfermeiras, assistente social, psicóloga, técnica em enfermagem, auxiliar administrativa e auxiliar de serviços gerais.
 
Em média, são realizadas 40 consultas por dia no Ceasm, acrescidas dos acolhimentos à demanda espontânea. Em um universo de estatística total, o número de atendimentos não aumentou por causa da pandemia, foi verificada uma redução do número de atendimentos de ginecologia e mastologia e foi elevado o número de gestantes. Esta constatação se deve à estratificação de risco para atendimentos, diminuição do número de profissionais ginecologistas (especialistas com mais de 60 anos de idade), isolamento social e amplificação do número de gravidez não planejada.
 
O Ceasm amoldou seus métodos de atendimento na rotina para conceder maior segurança à população feminina de Lages. Atualmente, o Ceasm está de portas abertas de segunda a sexta-feira, das 8h às 14h, sem fechar ao meio-dia. Anteriormente à pandemia, os profissionais trabalhavam de segunda a sexta-feira das 8h às 12h e das 13h às 17h, no entanto, com a redução do número de profissionais através do regimento formalizado pelo decreto municipal nº: 17.970, de 13 de abril, atestados médicos apresentados e a diminuição do número de atendimentos, a capacidade de assistência ao público foi estabelecida em 50%. “A população deve continuar mantendo os cuidados de higiene e isolamento social, e às gestantes o recado é para manter as rotinas de pré-natal e, para as puérperas, manter a amamentação. No caso de qualquer dúvida, sempre procurar orientação correta na sua UBS”, recomenda a coordenadora do Ceasm, enfermeira Bruna Correa Vaz.
 
Ao público-alvo, formado por mulheres, disponibiliza-se álcool gel em concentração 70% para higienização e desinfecção das mãos. De acordo com decreto municipal nº: 17.970, de 13 de abril, está obrigatório o uso de máscara de proteção facial em qualquer tipo de estabelecimento (público e privado) e locais ao ar livre, para coibir eventuais transmissões.
 
Os ambientes e os equipamentos são higienizados com maior frequência e há limite de pessoas conforme a capacidade dos cômodos onde são prestados os serviços. Os atendimentos são individualizados e há um intervalo de tempo maior entre os agendamentos.
 
Para ser atendida, a mulher necessita comparecer ao Ceasm com seu papel de encaminhamento da Unidade Básica de Saúde (UBS), Cartão Nacional do SUS (Sistema Único de Saúde) e carteira de identidade. O Centro de Estudo e Assistência à Saúde da Mulher (Ceasm) está situado na rua James Robert Amos, s/n, Centro, no andar térreo da Unidade Básica de Saúde (UBS) da região central e perto do estacionamento do Fórum Nereu Ramos (rua dos fundos). Dúvidas podem ser dirimidas por telefone para facilitar a vida das cidadãs do município: 3251-7900.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Enquete: participe e vote em quem você acha que será a rainha da Festa do Pinhão 2019

Lages a Nova Iorque com a Azul, a partir de junho

Internautas reagem a Mario Motta na bancada do ‘Jornal Nacional’