Profissionais da saúde falam sobre os desafios e angústias na luta contra a Covid-19

Mesmo utilizando todos os equipamentos de proteção individual, muitos acabam sendo contaminados e sendo afastados do trabalho.

Por ALINE TIVES da ASCOM PML,
Lages/SC

Foto: Divulgação


Lages perdeu dois médicos renomados para a Covid-19. O geriatra Dr. Jonas Coelho Lehmkul e o pediatra Dr. Moacir Cucco vão sempre estar na memória dos lageanos. E junto a eles, outras centenas de profissionais, sejam médicos ou enfermeiros, lutam diariamente para se protegerem e também a suas famílias. E mesmo com a ameaça iminente de ser contaminado nos seus ambientes de trabalho, não deixam de cumprir sua missão de salvar vidas.

+ sobre o Coronavírus
 
A enfermeira do Centro de Triagem, Letícia Franciele de Farias, de 24 anos, viveu na pele toda essa angústia. Trabalhando incansavelmente para atender a todos que chegam pedindo ajuda, já chegou a dar assistência a mais de 200 pacientes em um único plantão de 12 horas. Lá são feitos procedimentos de prevenção, escuta qualificada, coleta de exames, diagnóstico e tratamento para a Covid-19. “Trabalhar aqui é um verdadeiro desafio, enfrentamos dificuldades dia após dia. Nosso trabalho exige muita responsabilidade e o objetivo é manter a população longe do vírus, manter as famílias seguras e, para isso, arriscamos a nossa própria segurança, devido ao contato direto”, relata.
 
Mesmo utilizando todos os equipamentos de proteção individual, acabou sendo contaminada. Após ter ficado 39 dias afastada do trabalho, se recuperou e voltou para continuar na batalha junto aos colegas. “Foram dias difíceis, com angústia e medo de haver agravamento da doença na nossa região. Vivemos em extrema pressão, no trabalho e em casa. É agoniante voltar para casa sem saber se vamos contaminar alguém da nossa família, a responsabilidade e o medo pesam muito nessa hora”, comenta.
 
Para a médica, Jéssica Salvati Peserico, que também atua no Centro de Triagem, entre os principais desafios está a compreensão da população a respeito da gravidade da doença. “Muitos não compreendem que nem sempre é necessária a realização de exame e que nem tudo é Covid-19. Há muito desespero. Minha esperança é que a vacina saia logo, pra que diminua toda essa loucura”, desabafa.

O que a enfermeira Letícia, a médica Jéssica e todos os demais profissionais desta área tão nobre e essencial pedem para a população, é que todos façam a sua parte. “Muitos profissionais estão arriscando suas vidas nessa pandemia para manter a saúde e segurança da população. Portanto, faça sua parte, mantenha os hábitos de higiene adequados, proteja sua família e, se, puder, fique em casa. Só assim sairemos juntos dessa”, apelam.
 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Enquete: participe e vote em quem você acha que será a rainha da Festa do Pinhão 2019

Lages a Nova Iorque com a Azul, a partir de junho

Internautas reagem a Mario Motta na bancada do ‘Jornal Nacional’