Projeto Colheita Feliz, da Prefeitura, completa três anos de implantação e 51 hortas comunitárias entregues


“O Colheita Feliz torna as pessoas mais próximas, mais comprometidas com a saúde de seus filhos e vizinhos. Cultivar o alimento na terra para assegurar que vá para a mesa é um exercício de bondade consigo mesmo e com os outros, e de valorização a melhor qualidade de vida” – Antonio Ceron.

Por DANIELE MENDES DE MELO* da ASCOM PML,
Lages/SC

📷 Secretaria de Agricultura e Pesca / Divulgação

Alimento saudável na mesa da merenda das crianças e adolescentes alunos do sistema municipal de ensino e ervas medicinais fresquinhas para chás, todos orgânicos, cultivados sem nenhum pingo de agrotóxico. Produtos coloridos, aromáticos e apreciados por profissionais e admiradores da gastronomia sustentável. Consiste no Projeto Colheita Feliz, criado em Lages pela prefeitura em 2017, por intermédio da Secretaria da Agricultura e Pesca, um mecanismo de cultivo solidário de alimentos por parte da própria comunidade, atribuindo, desta forma, um caráter de união e empatia, produzir para todos terem em suas casas. Uma ideia bem aceita pela comunidade do município, com hortas montadas em espaços de associações de moradores, Centros de Educação Infantil Municipal (Ceims) e Escolas Municipais de Educação Básica (Emebs), totalizando 51 hortas entregues (contabilizada a horta da sede da Secretaria).

A Secretaria da Agricultura e Pesca fornece as mudas, sementes, insumos, cercamento, portal de entrada e saída, o plantio e capacidade técnica para o início do cultivo. Após, a manutenção, irrigação, colheita e replantio, ficam por conta dos moradores e comunidade escolar.

Baseado neste conhecimento teórico e prático, o secretário da Agricultura e Pesca de Lages, Osvaldo Uncini, aproveitou para, junto de sua equipe do Projeto Colheita Feliz, criar uma horta na sede da própria Secretaria, no bairro Universitário, elaborada pelos próprios servidores municipais e, de forma simples, utiliza-se o bambu em sua estrutura para ser plantada as hortaliças, servindo, o modelo, de inspiração para os visitantes, diante da praticidade e baixo custo na montagem. A colheita nesta hora é coletiva para beneficiar a população, bem como os funcionários colaboradores, que plantam, cuidam e colhem as verduras para o consumo em suas casas. “O Colheita Feliz torna as pessoas mais próximas, mais comprometidas com a saúde de seus filhos e vizinhos. Cultivar o alimento na terra para assegurar que vá para a mesa é um exercício de bondade consigo mesmo e com os outros, e de valorização a melhor qualidade de vida”, analisa o prefeito Antonio Ceron.

De acordo com a Secretaria, as décadas de 1990 e 2000 foram marcadas pelas grandes bandeiras comerciais de alimentos industrializados, dominando o prato de milhões de pessoas pelo mundo. No entanto, nítido e notório que os alimentos processados podem causar malefícios para a saúde das famílias, por exemplo, pelo excesso de açúcar, sódio e gordura em suas composições, os vilões para o surgimento de problemas crônicos, como diabetes, hipertensão e obesidade.

Nos últimos anos foi dado começo a uma tendência que pretendeu reverter este cenário em longo prazo. Os alimentos orgânicos estão ganhando cada vez mais espaço na mesa dos brasileiros e agrada milhões de famílias que buscam garantir alimentação mais saudável e nutritiva em suas refeições. Os orgânicos são uma excelente alternativa à culinária pela maior durabilidade, são saborosos e livres de substâncias prejudiciais à saúde.

*Com colaboração de Robinson Spuldaro

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Enquete: participe e vote em quem você acha que será a rainha da Festa do Pinhão 2019

Lages a Nova Iorque com a Azul, a partir de junho

Internautas reagem a Mario Motta na bancada do ‘Jornal Nacional’