Lages e São Joaquim fazem ações para combate a Dengue


Diferentemente de algumas cidades como Joinville, no Norte do Estado, Lages e São Joaquim não enfrentam uma infestação pelo mosquito da dengue, mas medidas são necessárias para evitar um aumento de casos.

Do LD,
Lages/SC

📷 Divulgação

Santa Catarina está em uma luta constante contra o coronavírus, mas infelizmente, não é apenas a Covid-19 que tem feito infecções em pacientes catarinenses, mas a Dengue também tem ocasionado a enfermidade de muitas pessoas, inclusive no Norte do Estado, onde em Joinville já há uma infestação pelo mosquito Aedes Aegypti.


Diferentemente do Norte do Estado, a Serra Catarinense ainda é uma região livre de infestação da Dengue, mas medidas são necessárias para evitar ao máximo o surgimento de casos da doença provocada pela picada do mosquito Aedes Aegypti. As cidades de Lages e São Joaquim realizaram nesta semana ações no combate a Dengue, ações esta que não pararam nem mesmo durante a pandemia do novo coronavírus.

Segundo a Vigilância Epidemiológica de Lages, são 600 armadilhas instaladas na região urbana da cidade. A equipe é formada por 12 servidores, sendo 10 agentes, um coordenador e um supervisor que vistoriam essas armadilhas e desde que o serviço de vigilância e combate à Dengue, já há duas décadas, foram encontradas em Lages, 19 focos do Aedes Aegypti, porém nenhum desses focos chegou a se propagar ou a criar o mosquito. Para o coordenador Márcio Rodrigues, a cidade é uma área livre de infestação pelo mosquito Aedes Aegypti, mas cada um precisa fazer sua parte. “Precisamos continuar assim e a única maneira que estarmos livres desta infestação é mantermos o cuidado permanente, eliminando de nossas residências ou estabelecimentos comerciais e de prestação de serviços, quaisquer recipientes que possam servir de acúmulo de água parada”, destaca.

Já em São Joaquim, na última segunda-feira (25), a equipe de vigilância sanitária realizou uma grande ação de inspeção para verificar focos do mosquito. Ao longo da ação, foram encontrados diversos focos de água parada, o que é um criadouro para o mosquito e acaba por ser preocupante.

A secretária Municipal de Saúde, Terezinha Godói Vieira, comentou sobre a ação. “Essa é uma ação conjunta, portanto é indispensável a parceria com os munícipes. Se cada um cuidar do seu quintal, do lixo e afins, fica mais fácil o controle”, afirmou a secretária.

A ação também teve como o objetivo de sensibilizar a população para os cuidados e o bloqueio da transmissão da dengue.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Enquete: participe e vote em quem você acha que será a rainha da Festa do Pinhão 2019

Lages a Nova Iorque com a Azul, a partir de junho

Internautas reagem a Mario Motta na bancada do ‘Jornal Nacional’