“A Aida falar e um cachorro latir é a mesma coisa”, diz Lucas Neves em áudio vazado durante sessão remota da Câmara de Lages

Em nota, o vereador Lucas Neves afirmou que utilizou uma expressão popular e inofensiva quando conversa com uma outra pessoa no gabinete e o microfone estava aberto, e que o episódio, está sendo utilizado politicamente contra ele. 

Do LD,
Lages/SC


📷 Reprodução / TV Câmara

A sessão remota da Câmara de Vereadores de Lages nesta segunda-feira, 25, chamou a atenção, mas não pelos projetos de lei, moções ou pedidos de informação apresentados, mas sim por uma fala do vereador Lucas Neves (PSL) que não sabia que o microfone estava aberto e disse a seguinte frase “A [vereadora] Aida e um cachorro latir é a mesma coisa”, o que causou perplexidade em alguns edis, enquanto outros riram da situação, e revolta e decepção por parte da vereadora Aida, a única mulher na Câmara.



A fala surgiu após a vereadora Aida Hoffer (PSD) ter feito comentários em relação ao governo estadual, o qual é comandado pelo governador Carlos Moisés (PSL) do mesmo partido do vereador Lucas Neves. Após a fala, Aida Hoffer afirmou que na sessão desta terça-feira (26) irá questionar o vereador Lucas. "Vou fazer uma única pergunta para ele e quero ver qual é a resposta dele. Ou ele é duas caras ou ele vai mostrar quem ele é mesmo", e afirmou que caso confirmado o que foi dito, vai solicitar ao presidente da Câmara, Vone Scheuermann (MDB) para que abra uma sindicância por quebra de decoro parlamentar, mas que antes de tudo, iria novamente ver o vídeo para que, segundo palavras da vereadora, "não cometer erro". 

Procurado pela reportagem do Lages Diário, o vereador Lucas Neves enviou uma nota de esclarecimento aonde afirma que o episódio está sendo utilizado politicamente contra ele e que fez tal comentário em tom de ironia e utilizou uma expressão popular (inofensiva) "após a vereadora fazer ataques indiretamente a mim, a exemplo do que tem sido corriqueiro, expressei minha indiferença aos ataques dela" e destaca que "sempre respeitei a todos, nunca sofri qualquer medida disciplinar na Câmara e nunca usei a tribuna para atacar de forma gratuita alguém" e que o comentário acabou ganhando uma "proporção indevida por conta do meu microfone estar aberto", declara. A nota de esclarecimento na íntegra você lê abaixo. 






Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Enquete: participe e vote em quem você acha que será a rainha da Festa do Pinhão 2019

Lages a Nova Iorque com a Azul, a partir de junho

Internautas reagem a Mario Motta na bancada do ‘Jornal Nacional’