UE propõe jornada de trabalho reduzida para evitar demissões


A chefe da Comissão Europeia não deu detalhes sobre o novo esquema.

Por JAN STRUPCZEWSKI da REUTERS,
Bruxelas/BEL

📷 Charles Platiau

A Comissão Europeia propôs nesta quarta-feira um esquema de jornada de trabalho reduzida baseado no programa Kurzarbeit da Alemanha para ajudar as pessoas a manterem seus empregos enquanto a pandemia de coronavírus atinge as economias do bloco de 27 países.

Ao anunciar o esquema por mensagem de vídeo, a chefe da Comissão, Ursula von der Leyen, não deu detalhes sobre como ele será financiado, dizendo apenas que seria garantido por todos os países da UE - uma pista de que poderia estar vinculado ao Orçamento da UE.

"As empresas estão pagando salários a seus funcionários, mesmo que, no momento, não estejam ganhando dinheiro. A Europa agora irá apoiar, com uma nova iniciativa", disse von der Leyen.

"O objetivo é ajudar a Itália, a Espanha e todos os outros países que foram duramente atingidos. E o fará graças à solidariedade de outros Estados membros", disse.

De acordo com o antigo esquema alemão, o governo paga parte do salário de um trabalhador quando as empresas cortam suas horas diante de uma desaceleração para impedir que eles percam o emprego por completo.

A Comissão informou que mais detalhes de seus planos estarão disponíveis na quinta-feira.

"Se não houver encomendas e as empresas ficarem sem trabalho por causa de um choque externo temporário como o coronavírus, elas não devem demitir seus trabalhadores", disse von der Leyen.

"Dessa forma, as pessoas são poupadas do buraco em suas carteiras durante a crise. Elas podem continuar pagando seus aluguéis e comprando o que precisam. E isso também tem um impacto positivo na economia", afirmou.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Enquete: participe e vote em quem você acha que será a rainha da Festa do Pinhão 2019

Lages a Nova Iorque com a Azul, a partir de junho

Internautas reagem a Mario Motta na bancada do ‘Jornal Nacional’