Santa Catarina registra a segunda morte por febre amarela em 2020


Ao contrário do novo coronavírus, a febre amarela tem vacina e Governo do Estado reforça a importância de se imunizar.

Por LD,
Lages/SC

📷 Dóia Cercal / SECOM

Um homem de 57 anos que morreu no último dia 13 de março, em Indaial, no Vale do Itajaí, teve a causa da morte confirmada pela Secretaria de Estado da Saúde (SES) nesta quarta-feira, 1º de abril. Ele foi vítima de febre amarela, a segunda morte registrada pela doença no Estado em 2020.

Segundo a SES, a vítima não tinha registro de vacina no Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações (SIPNI). Diferentemente do novo coronavírus (Covid-19), a febre amarela conta com vacina disponível e de forma gratuita, por isso, a SES, reforça a importância em se imunizar, e isso vale para todos os moradores catarinenses com mais de 9 meses, e orienta-os a procurarem os postos de saúde.

A primeira morte por febre amarela no Estado havia sido registrada em março e vitimou um homem de 42 anos, morador de Camboriú, no Vale do Itajaí. Contando com as duas mortes, Santa Catarina registra 12 casos confirmados de febre amarela em humanos na cidades de São Bento do Sul e Jaraguá do Sul, no Norte do Estado, e Blumenau, Indaial, Pomerode e Camboriú, no Vale do Itajaí, além de um morador de São Paulo, que esteve em Pomerode.

O sinal de que o mosquito que transmite o vírus da febre amarela está pela região é o aparecimento de macacos mortos. Lembrando que o macaco não é o transmissor, mas sim, o aviso de que o mosquito que transmite está no local. Em Santa Catarina já são 39 macacos encontrados mortos nas cidades de Blumenau, Gaspar, Indaial, Pomerode, Timbó, Campo Alegre, Luís Alves e Doutor Pedrinho, todos no Vale do Itajaí, e Jaraguá do Sul e São Bento do Sul, no Norte do Estado.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Enquete: participe e vote em quem você acha que será a rainha da Festa do Pinhão 2019

Lages a Nova Iorque com a Azul, a partir de junho

Internautas reagem a Mario Motta na bancada do ‘Jornal Nacional’