CDL de Lages repudia o Decreto que prorrogou por mais cinco dias a quarentena para o comércio


Entidade considerou a medida como uma “concorrência desleal” devido o Governo ter liberado outros serviços com “mais aproximação” já estarem abertos.

Por LD,
Lages/SC

📷 Divulgação / Grupo Juntos Somos Fortes 

Empresários e colaboradores de empresas de Lages realizaram na manhã desta quarta-feira, 8, um protesto pacífico no calçadão da Praça João Costa, pedindo a volta das atividades, especialmente no setor do comércio que é o mais afetado pelo isolamento social e que teve a previsão de retorno para esta quarta-feira frustrada devido a publicação de um novo Decreto, o de nº 550/2020 com a determinação de continuarem fechados por pelo menos cinco dias.  

O Decreto publicado nesta quarta-feira (8) prorroga por mais cinco dias a restrição de abertura de comércio, considerado não essencial. O documento restringindo o comércio foi criticado e até alvo de uma nota de repúdio da Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL) de Lages que considerou o Decreto impossibilitando a abertura como uma “concorrência desleal” por não autorizar o comércio de abrir as portas, mas autorizar a abertura de outros serviços que tem até “mais aproximação”.

A CDL esclarece que entende que o momento é delicado para a Saúde Pública, porém, faz-se mobilizar devido às medidas limitantes afetar apenas o setor do comércio e não os demais e acrescenta que é “precisamos preservar vida, sem deixar de lado a nossa economia”.  

Confira a íntegra de Nota de Repúdio da CDL

“A Câmara de Dirigentes Lojistas de Lages – CDL, como entidade representativa do comércio, repudia a atitude do Governo do Estado de Santa Catarina em prorrogar por mais cinco dias o Decreto de isolamento social.
Entendemos ser este um momento delicado para a saúde pública, bem como temos ciência das responsabilidades que esta situação demanda. Porém, as medidas limitantes apenas para o comércio, tendo em vista que outros serviços de mais aproximação, já encontram-se abertos, fazem com que o setor se mobilize contra essa decisão.

Assim como as demais atividades que já estão em funcionamento, o setor do comércio também está disposto a abrir as portas com todos os cuidados e restrições impostos pelo Ministério da Saúde, preservando assim a vida de nossos colaboradores e clientes, sem deixar de lado o setor econômico, primordial parta a preservação da vida da comunidade catarinense.

Do modo como se está procedendo, como serão pagos nossos impostos, aluguéis e despesas das empresas? A impossibilidade na abertura de nosso comércio, tornou-se uma concorrência desleal. Precisamos preservar a vida, sem deixar de lado a nossa economia. Precisamos pensar nas milhares de famílias catarinenses!

Diretoria CDL Lages. Juntos somos mais fortes”.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Enquete: participe e vote em quem você acha que será a rainha da Festa do Pinhão 2019

Lages a Nova Iorque com a Azul, a partir de junho

Internautas reagem a Mario Motta na bancada do ‘Jornal Nacional’