Procon flagra distribuidora de Ilhota orçando caixa de máscaras por R$ 27 mil a farmácias de Lages


A mesma caixa com 150 peças havia sido vendida em novembro de 2019 por R$ 600. Ou seja, em quatro meses, o preço do produto subiu 4.500%.

Por LD,
Lages/SC



Uma situação revoltante, um exemplo de prática de preço abusivo foi constatado pelo Procon de Lages nesta semana quando realizavam fiscalizações sobre os preços dos produtos consumidos para prevenção ao novo coronavírus (Covid-19). Uma distribuidora com sede em Ilhota, no Vale do Itajaí, mas que revende produtos do gênero às farmácias de Lages reajustou de forma abusiva o preço da máscara descartável.

Segundo o Procon, a caixa do produto com 150 peças foi vendida a uma farmácia de Lages, em 26 de novembro de 2019, ao preço de R$ 600, saindo R$ 4 cada máscara. A mesma caixa foi orçada nesta semana ao preço de R$ 27 mil, saindo cada máscara pelo preço unitário de R$ 180. Um aumento de 4.500% em um intervalo de quatro meses.

“Diante dessa situação, encaminhamos a documentação ao Ministério Público para que tome as devidas providências, faça a denúncia e proceda o processo criminal contra esta empresa”, diz o Executivo do Procon de Lages, Júlio Borba.

O Procon orienta aos consumidores que denunciem caso estabelecimentos estejam comercializando produtos considerados essenciais com preços abusivos.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Enquete: participe e vote em quem você acha que será a rainha da Festa do Pinhão 2019

Lages a Nova Iorque com a Azul, a partir de junho

Internautas reagem a Mario Motta na bancada do ‘Jornal Nacional’