No período de quarentena, a orientação é economizar água devido a estiagem

Apesar da recomendação em lavar as mãos, Defesa Civil de Lages recomenda que mantenha a higiene, mas evitando o desperdício de água devido ao período de estiagem na região.

Lages/SC

📷 Apesar de não abastecer Lages, a situação do rio Pelotas é bastante preocupante.
(Foto: Maurício Santos / LD Comunicação)

A situação é preocupante pelos próximos meses e não é apenas em se tratando dos casos do novo coronavírus (Covid-19), mas também a situação da estiagem que já afeta algumas regiões do Estado e municípios aqui da Serra Catarinense e com o período de quarentena determinado pelo Governo do Estado, muitas famílias deverão ficar em casa por mais sete dias e com isso o consumo de água deve aumentar, ainda mais com a recomendação de higienizar as mãos sempre que possível, o agravante disso é que não há previsão para chuvas consideráveis nos próximos dias que seriam suficientes para aumentar os níveis dos reservatórios.

Em Lages, a situação não é diferente. A cidade ainda não conta com racionamento, os níveis de abastecimento por enquanto ainda seguem normais, mas a Semasa com o apoio da Defesa Civil Municipal solicita que não se desperdice água com lavagem de carro e calçadas, e que a população tenha o controle na abertura das torneiras quando forem lavar as mãos ou a louça.

O Lages Diário percorreu alguns locais e a situação é preocupante em alguns pontos. Entre a situação mais dramática apesar de não ser o rio que abastece a cidade de Lages, mas tem grande importância é o rio Pelotas que faz a divisa dos estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul. O nível do rio está baixo e não chega em alguns pontos a um metro de profundidade. Na ponte que liga os dois estados, a marca de onde a água costumava ficar impressiona e mostra o quanto o nível do rio caiu nos últimos meses.

📷 Marca na ponte dá uma dimensão de quanto o nível do rio Pelotas baixou nos
últimos meses. (Foto: Maurício Santos / LD Comunicação)

A situação não é diferente no rio Caveiras na ponte na divisa de Lages com Capão Alto, próximo a onde ficará a fábrica da Berneck, por lá, o rio também apresenta nível muito baixo assim como na região do Salto Caveiras onde literalmente as margens viraram espaços de terra e que se não fosse a restrição de não sair de casa serviria para tomar banho de sol.

📷 Rio Caveiras na região Sul de Lages próximo a divisa com Capão Alto também está
com nível bem baixo. (Foto: Maurício Santos / LD Comunicação)

Por isso, a recomendação é a de ficar em casa para evitar a proliferação do novo coronavírus, mas em casa a regra é a de economizar água. “Economizar água neste momento é fundamental e necessário”, alerta o prefeito de Lages, Antonio Ceron.

📷 Situação é preocupante na represa no Salto Caveiras. (Foto: Maurício Santos / LD
Comunicação)

📷 Rio Caveiras com nível bem abaixo do normal. (Foto: Maurício Santos / LD Comunicação)

📷 Represa no Salto Caveiras também já conta com algumas partes mais secas devido
a estiagem na região da Serra Catarinense. (Foto: Maurício Santos / LD Comunicação)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Enquete: participe e vote em quem você acha que será a rainha da Festa do Pinhão 2019

Grave acidente deixa cinco pessoas feridas em Lages

Lages a Nova Iorque com a Azul, a partir de junho