Crivella é atingido por bola de lama após criticar moradores por lixo


No fim de semana, quatro pessoas morreram devido às chuvas no Rio.

Por CRISTINA ÍNDIO DO BRASIL da AGÊNCIA BRASIL,
Rio de Janeiro/RJ

📷 Fernando Frazão / Agência Brasil

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, foi atingido na cabeça por uma bola de lama jogada por morador durante visita na manhã de hoje (2) a comunidades da zona oeste da capital que foram prejudicadas pelos temporais dos últimos dias. Quatro pessoas morreram em decorrência das chuvas.

Crivella foi atingido pelas costas quando estava começando uma entrevista na localidade conhecida como Barata, em Realengo. O prefeito não reagiu, continuou com a entrevista na qual criticou os moradores por jogarem lixo nas encostas e nos rios, o que já tinha feito ontem (1) em reunião de avaliação das ações da Prefeitura em resposta às chuvas. 

Ao deixar o local, Crivella seguiu com equipe para o bairro Carobinha, em Campo Grande, onde conversou com moradores e lideranças comunitárias e mais uma vez criticou quem joga lixo em locais inadequados.

“A chuva no Rio de Janeiro é sempre um problema, mas o pior problema não é a chuva. É o lixo. Excesso de lixo nos rios, excesso de lixo nos bueiros, excesso de lixo nas encostas. As pessoas descartam o lixo nas encostas e quando vem a chuva esse lixo todo desce para entupir a nossa cidade”, afirmou.

No contato com moradores, alguns revoltados com as consequências dos temporais, o Crivella comentou as providências da administração municipal que estão em andamento para minimizar os efeitos das fortes chuvas na região.

Segundo ele, a prefeitura do Rio providenciará colchões para desalojados da Carobinha, que estão sendo cadastrados na Escola Municipal Professor Fábio César Pacífico. Lá, o prefeito criticou ainda a quantidade de carcaças de pneus e entulhos no Rio Guandu Mirim, que transbordou na localidade e repetiu a crítica feita na coletiva anterior.

Cidade em alerta

O Rio segue em estágio de alerta, quarto nível em uma escala de cinco, que significa ocorrências graves. O Alerta Rio informou que entre 0h de domingo (1º) e 8h desta segunda, choveu mais da metade da média prevista para o mês de março. O bairro de Santa Cruz registrou o maior volume e em 32 horas choveu quase o equivalente ao mês inteiro. O acumulado é de 154,6 mm, bem próximo da média na estação pluviométrica para o mês de março, que é de 155,3 mm.



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Enquete: participe e vote em quem você acha que será a rainha da Festa do Pinhão 2019

Lages a Nova Iorque com a Azul, a partir de junho

Internautas reagem a Mario Motta na bancada do ‘Jornal Nacional’