Todo cuidado é pouco para se precaver a propagação da doença.

Por DANIELE MENDES DE MELO da ASCOM PML,
Lages/SC



A população de Lages aparenta ter compreendido e acatado os aconselhamentos para prevenção ao alastramento do coronavírus, causador da doença denominada Covid-19, surgida em dezembro de 2019 na China. A Organização Mundial da Saúde (OMS) emitiu o primeiro alerta para a doença em 31 de dezembro de 2019, depois que autoridades chinesas notificaram casos de uma enigmática pneumonia na cidade de Wuhan, metrópole chinesa com 11 milhões de habitantes.

E a mais de 18.400 quilômetros de distância de Wuhan e de mais de dez mil da Itália, epicentro do coronavírus, Lages respondeu prontamente às recomendações e determinações de decretos municipais e estadual, absorvendo ações coletivas para evitar a proliferação. Avenidas e ruas da área central e dos bairros estão vazias, sem carros e sem gente. Comércio e prestadores de serviço de portas fechadas. Famílias em casa, e idosos, do grupo de vulnerabilidade, resguardados.

Decretos assinados pelo prefeito Antonio Ceron reorganizam estruturas e regem a nova vida dos lageanos até a segunda ordem. Aulas na rede municipal suspensas por 30 dias, servidores públicos em regime especial de trabalho por pelo menos sete dias (dispensa e convocação a qualquer tempo).

Pelo bom senso e apelo coletivo para proteção mútua, servidores e operários da Secretaria de Serviços Públicos e Meio Ambiente estão trabalhando contingencialmente, portanto, em número reduzido de pessoas, de acordo com o secretário da pasta, Eroni Delfes Rodrigues. São desempenhadas atividades restritamente em caráter de urgência. “A definição do modo de operação especial prioriza a saúde dos servidores e dos cidadãos de Lages, respeitando-se todas as diretrizes públicas para atenuar as consequências de uma movimentação de pessoas nesta época de disseminação viral”, detalha o secretário Delfes Rodrigues.

Os trabalhos de limpeza e varrição de vias públicas no Centro e no bairro Coral permanecem em execução em horários reduzidos. Estão suspensas roçadas de gramados em praças, parques, áreas institucionais, canteiros centrais, rótulas e às margens de calçadas; podas de árvores, e manutenções de paisagismo.

Os serviços de iluminação pública, recolhimento de animais mortos e dos cemitérios municipais Cruz das Almas e Nossa Senhora da Penha (sepultamentos) cumprem regime de plantão. Não é possível fazer visitas a túmulos e jazigos nos cemitérios neste período. Os números de telefone para solicitar serviços de iluminação pública são 0800 648-0201 e 3222-8201.

A coleta de lixo convencional, feita seis vezes por semana no centro da cidade e três vezes por semana pela empresa terceirizada, Serrana Engenharia, permanece em frequência normal. Normalmente e diariamente é feita a coleta seletiva de materiais recicláveis por caminhões via contrato firmado entre a Cooperlages e a prefeitura, através da Secretaria Municipal de Águas e Saneamento (Semasa), que custeia o contrato por intermédio da taxa de coleta de lixo paga pelos cidadãos. A Cooperativa tem a responsabilidade sobre os caminhões e pelo transporte e destinação final dos materiais.

Porém, foi informado pela presidência da Cooperlages que os cerca de 30 cooperados realizaram uma reunião e decidiram suspender as atividades por sete dias no barracão, a partir desta quarta-feira (18 de março), em razão da sua vulnerabilidade e risco de propagação se houvesse casos. Desta forma, não haverá a coleta seletiva por estar inviabilizada diante do fato de que não haverá profissionais para descarregamento e triagem de materiais. O Gabinete Emergencial de Acompanhamento da Covid-19, do qual fazem parte a prefeitura de Lages e outros órgãos públicos, das áreas de saúde, segurança e educação, segue com suas atividades, atenta ao cumprimento dos decretos e a qualquer novidade que gere novas providências.