Florianópolis é onde está registrado o maior número de casos, cinco ao total.

Por FABRÍCIO ESCANDIUZZI da SECRETARIA DE ESTADO
DA SAÚDE,
Florianópolis/SC

📷 Divulgação

A Secretaria de Estado da Saúde confirmou 14 casos do novo coronavírus (Covid-19) em Santa Catarina, nesta quarta-feira, 18. Entre os casos, quatro são de transmissão comunitária, quando a origem do contágio não é identificada. Este cenário levou o governador Carlos Moisés a, na noite de terça-feira, decretar situação de emergência e restringir todos os serviços que envolvem atendimento ao público e não são considerados essenciais. 

Ao ter o primeiro registro de transmissão comunitária o Estado passa de situação de perigo iminente (nível 2) para emergência em saúde pública (nível 3). As cidades com casos confirmados são Florianópolis (5), Braço do Norte (2), Rancho Queimado (2), Tubarão (2), Balneário Camboriú (2) e Joinville (1). Um dos pacientes está internado em unidade hospitalar, ele não é idoso e não tem doenças crônicas, o que reforça a importância de todos se prevenirem.

Santa Catarina tem 177 casos suspeitos. Em entrevista coletiva na tarde desta quarta-feira o governador Carlos Moisés disse que há pacientes com suspeita da doença COVID-19 em todas as regiões do Estado. "Isso é importante para que a população entenda as medidas que foram tomadas pelo governo do Estado. A partir do momento que temos 14 casos confirmados eles podem se potencializar em questão de dias e precisamos tomar medidas ágeis para evitar a aglomeração de pessoas e a propagação deste vírus", destacou.

A atualização dos casos está disponível no site http://www.saude.sc.gov.br/coronavirus.

A melhor forma de combater a propagação do novo coronavírus no Estado é a prevenção. Por isso, na noite de terça-feira, 17, o governador Carlos Moisés emitiu um decreto proibindo a realização de qualquer atividade que envolva reunião de pessoas no Estado, exceto serviços essenciais, em regime de quarentena, por sete dias. A medida visa proteger a saúde dos catarinenses.

Sistema de notificação de casos suspeitos será realizado pelos estados

O novo sistema de notificações de casos suspeitos na Plataforma Integrada de Vigilância em Saúde IVIS do Ministério da Saúde será realizado automaticamente pelos estados. Anteriormente, as notificações desses casos passavam por uma análise prévia da pasta para saber se estavam enquadrados nos critérios clínicos estabelecidos pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

A decisão foi anunciada pelo Governo Federal. Com a nova forma de notificação criada pelo Ministério da Saúde será possível poupar tempo para os estados realizarem as ações de vigilância, além de dar transparência nas informações. A IVIS compila os dados notificados sobre o novo coronavírus (COVID-19).

Campanha de vacinação

O Ministério da Saúde (MS) já confirmou o início da Campanha Nacional de Vacinação contra a influenza (gripe) para a próxima segunda-feira, dia 23 de março. A campanha normalmente começa no mês de abril, mas neste ano, justamente por conta dapandemia do novo coronavírus, foi antecipada. A medida é uma estratégia do Governo Federal para facilitar o trabalho das equipes de saúde no diagnóstico da COVID-19. Isso porque seus sintomas são muitos semelhantes aos da gripe.

Além da vacina contra a gripe, há outras doses importantes no calendário vacinal dos catarinenses, como a imunização contra o sarampo e a febre amarela. Confira aqui o calendário de imunização para estas doenças.

Ações para conter a propagação do vírus

A melhor forma de frear o avanço do coronavírus é a prevenção:


·        Caso o paciente apresente os sintomas da doença, como febre, tosse, falta de ar, dores musculares e de cabeça, deve procurar atendimento em uma unidade básica de saúde. Não procure um hospital.  Lá os agentes de saúde farão o devido encaminhamento, se necessário, e darão as orientações em relação ao tratamento.
·        Em caso de dúvidas sobre onde procurar ajuda, as pessoas devem ligar para o número 136, do Disque Saúde, disponibilizado pelo Ministério da Saúde.
·        Somente serão transferidos para UPAs ou hospitais pacientes em estado mais grave. Os sintomas do coronavírus são semelhantes ao de gripe e a recomendação para quem não tiver o caso agravado é que fique em isolamento e monitoramento em casa
·        Idosos e pessoas com doenças crônicas evitem ir a eventos fechados e a locais com aglomeração.
·        Evite viajar se estiver com febre ou tosse
·        Evite contato com pessoas que estiverem visivelmente doentes, principalmente com sintomas respiratórios (tosse ou coriza)
·        Higienize as mãos frequentemente, seja com água e sabão ou álcool gel
·        Evite tocar os olhos, nariz e boca
·        Pratique a etiqueta da tosse: ao tossir e espirrar, cubra a boca com lenço descartável ou antebraço. Descarte o lenço imediatamente
·        Se você ficar doente durante uma viagem, procurar imediatamente a tripulação ou equipe médica de bordo
·        Na viagem, evite a ingestão de alimentos de procedência duvidosa ou inadequadamente preparados
·        Evite o contato com animais silvestres ou animais doentes
·        Evite que crianças e adolescentes com menos de 14 anos mantenham contato prolongado com pessoas com mais de 65 anos
·        Evite a circulação em locais com grande aglomeração de pessoas, inclusive praias, lagos e lagoas.