Revitalização do Centro: uma Lages ainda mais bonita e moderna para todos


Os projetos de execução destes serviços são distintos, ou seja, o convênio com o Governo do Estado, que é o agente financeiro das obras, é dividido entre a licitação para a reforma e ampliação do Mercado Público e a licitação da revitalização do Centro.

Por ARI JUNIOR da ASCOM PML,
Lages/SC

📷 Projeto de revitalização do calçadão Túlio Fiúza de Carvalho. (Foto: Divulgação)

Lages, com o passar dos anos, está experimentando, de forma positiva, as consequências do seu desenvolvimento socioeconômico. A cidade polo do Planalto Serrano de Santa Catarina vem se destacando no cenário estadual e nacional com bons índices de desenvolvimento econômico.

A prospecção de novos investimentos privados e a já realidade de outras empresas instaladas na cidade fazem com que os números de empregos sejam positivos durante todo o ano de 2019. São 1.390 novas vagas de janeiro a outubro. Já a revista Exame, de circulação nacional, e uma referência no mundo dos negócios, aponta Lages como a 63ª no ranking das 100 melhores cidades para se investir no país.

Este crescimento faz com que novos projetos de infraestrutura sejam planejados para que a cidade, como um todo, seja beneficiada pelas transformações do crescimento ordenado do município. Um exemplo é a revitalização do Centro de Lages.

Este importante projeto não iniciou recentemente, já vem sendo pensado pelas administrações anteriores, desde meados de abril do ano de 2009. Naquela época o antigo Mercado Público foi interditado por determinação judicial, através de laudos técnicos da Defesa Civil, apontando risco na estrutura. Na sequência deste processo, em 2012 foi iniciada uma reforma na cobertura daquela antiga estrutura, mas novamente por determinação judicial a obra foi embargada, pois a Promotoria Pública entendia que os serviços realizados no local estavam em desacordo com as características mais marcantes da arquitetura do prédio histórico.

Desde então, as administrações municipais, das épocas, trabalharam na construção de um projeto para reforma, revitalização e modernização de toda a área central de Lages. As discussões do modelo ideal não são de agora e nem exclusivas do Poder Público municipal. Entidades de classe, como a Associação Empresarial de Lages (Acil) e Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), são instituições parceiras nas proposições de um novo espaço público para o centro da cidade. Inclusive, em junho de 2014 a prefeitura já estudava a retirada do monumento a Getúlio Vargas da Praça João Ribeiro. A intenção foi noticiada, na época, na imprensa, como uma tentativa de valorizar e melhorar o visual da Catedral Diocesana.

Projetos

Os projetos de execução destes serviços são distintos, ou seja, o convênio com o Governo do Estado, que é o agente financeiro das obras, é dividido entre a licitação para a reforma e ampliação do Mercado Público e a licitação da revitalização do Centro (cabeamento subterrâneo da rede de energia elétrica e revitalização das praças João Costa e João Ribeiro, Calçadão Túlio Fiúza de Carvalho, rua Nereu Ramos e trechos das ruas Coronel Córdova e Correia Pinto). “Lembro que no início dos projetos, ainda na administração anterior, fizemos uma viagem com o então governador Raimundo Colombo para a Espanha, na Europa. Participaram também desta visita técnica empresários de Lages, representantes das entidades de classe. Lá fomos buscar e estudar um projeto ideal para o nosso Centro. Exemplos que estão disponíveis nas praças consideradas as mais belas do mundo”, explica o prefeito Antonio Ceron.

Com o passar dos anos a reforma e ampliação do Mercado Público e a revitalização do Centro começaram a ganhar forma. Para o Mercado Público foi realizado um concurso de arquitetura para a contratação de uma empresa responsável pelo projeto. Após adequações técnicas e de ordem orçamentária com a redução significativa de parte do orçamento do projeto inicial, as obras estão sendo executadas pela empresa responsável.

Um investimento do governo estadual em parceria com a prefeitura, de aproximadamente R$ 6 milhões. As características iniciais do projeto original de reforma do Mercado Público foram mantidas.

Já a revitalização do Centro de Lages, orçada em mais de R$ 13 milhões (pagos pelo Governo do Estado), também teve suas readequações de projetos, tudo com a participação das entidades de classe do município. Inúmeras reuniões foram realizadas para tratar do projeto.

A primeira fase das obras compreendeu o cabeamento subterrâneo. Na sequência, um grande desafio: As obras de revitalização da Praça João Costa. Esta já concluída, e que tem agradado a todos por sua beleza.

A próxima etapa será a nova Praça João Ribeiro, onde os serviços se concentram na retirada das antigas calçadas e concretagem dos novos passeios públicos.

Monumento a Getúlio Vargas

A antiga estrutura já foi retirada (arco). O novo monumento, do qual faz parte o busto do ex-presidente da República, terá um desenho mais moderno e será realocado para a esquerda, de quem olha a Catedral de frente. “Conversamos com o arquiteto do projeto original do monumento, João Preto. Ele terá participação efetiva neste novo desenho do monumento a Getúlio Vargas”, salienta o prefeito Ceron

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Enquete: participe e vote em quem você acha que será a rainha da Festa do Pinhão 2019

Lages a Nova Iorque com a Azul, a partir de junho

Internautas reagem a Mario Motta na bancada do ‘Jornal Nacional’