Diretoria do Sindicato Rural toma posse em noite de confraternização


Cerimônia de posse reuniu cerca de 600 pessoas que prestigiaram a posse da diretoria encabeçada pelo presidente do Sindicato Rural, Marcio Pamplona.

Por ASSESSORIA DO SINDICATO RURAL DE LAGES,
Lages/SC

📷 Sindicato Rural de Lages / Divulgação

A confraternização de final de ano dos associados e convidados da Associação e Sindicato Rural de Lages, desta vez, também empossou os membros da diretoria para o quadriênio 2020/23. Cerca de 600 pessoas prestigiaram o ato seguido de jantar junto ao Parque Conta Dinheiro, na noite desta terça-feira (17). Coube ao vice-presidente da Federação da Agricultura do Estado de Santa Catarina (FAESC), Enori Barbiere, declarar oficialmente empossada a nova diretoria, na companhia de outro dirigente da Federação, Marcos Pagani, e do vice-prefeito Juliano Polese.

Foi uma solenidade rápida. Apenas o presidente reeleito Márcio Cícero Neves Pamplona fez uso da palavra. Ele justificou a razão que o levou a aceitar permanecer no cargo. Segundo ele, primeiramente para seguir representando a classe produtora, em lutas ainda não terminadas. É o caso dos processos resultantes das notificações do Instituto do Meio Ambiente (Ibama), que, embora a entidade sindical tenha conseguido suspender as multas, o processo ainda não está encerrado. Portanto, precisa trabalhar para que sejam todos arquivados. Márcio ainda se referiu a outra situação, em que o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), está tentando fazer com que vários pontos estratégicos da Coxilha Rica, incluindo, o Passo Santa Vitória, sejam tombados. Uma medida que poderá resultar na frustração do desenvolvimento de toda uma região.

Como dirigente rural, também falou da intenção de seguir vários objetivos que atendam demandas regionais, e que não são exclusivas do produtor. Entre elas, a busca da viabilização da Usina de Pai Querê. Márcio argumenta que uma hidrelétrica gera energia, essencial para qualquer atividade econômica em nosso país. O Brasil hoje, está em amplo crescimento, e se atingir que seja 1%, já corre o risco de faltar energia. Tem também outras “brigas” que são demandas também de outras entidades, caso da melhoria das condições da BR 282 e da BR 116. Pamplona conclui dizendo de que há também algumas atividades internas do Parque, tais como, construir uma melhor estrutura para abrigar os ovinos; ampliar os galpões de exposição de bovinos, além de fazer uma cobertura para a pista de julgamento, entre outras. Por fim, desejou a todos um Feliz Natal e um ótimo Ano Novo, pois 2020 virá repleto de desafios.

📷 Sindicato Rural de Lages / Divulgação
📷 Sindicato Rural de Lages / Divulgação


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Enquete: participe e vote em quem você acha que será a rainha da Festa do Pinhão 2019

Lages a Nova Iorque com a Azul, a partir de junho

Internautas reagem a Mario Motta na bancada do ‘Jornal Nacional’