Júri popular ocorreu durante a última terça-feira última terça-feira (26).

Por TAINA BORGES do NCI TJSC,
Lages/SC        

📷 Taina Borges / NCI TJSC
          
A sessão de julgamento do homem acusado de tentativa de homicídio contra a ex-mulher em um ônibus coletivo, em Lages, encerrou com a leitura da sentença de 10 anos de reclusão ao réu. Os trabalhos desta terça-feira (26) duraram cerca de 12 horas.  Nesse tempo, o Conselho de Sentença ouviu a vítima, nove testemunhas, acusação, defesa, considerou o homem culpado e reconheceu as qualificadoras do feminicídio, motivo torpe, surpresa e perigo comum.

Denunciado pelo Ministério Público por atirar contra a ex-companheira, com quem foi casado por 16 anos, o homem ficou em silêncio durante o interrogatório. O crime ocorreu em outubro de 2018, quando entrou no ônibus onde estava a mulher, a encurralou e desferiu quatro disparos contra ela. Depois disso, atirou contra si. A ocupação do transporte coletivo estava próximo da máxima.

No júri, a vítima falou por 40 minutos e optou por ser na frente do acusado. “Meu medo era de que ele descesse do ônibus para terminar o serviço”. Mesmo depois de ser atingida na região do ombro, cotovelo, abdome e cabeça, desembarcou e ficou na frente do veículo até a chegada do atendimento de emergência.

Ela disse que as ameaças vinham ocorrendo há algum tempo. Um mês antes do fato, ele teria feito com uma arma branca, na rua, ao sair do trabalho. Fazia seis anos que estavam separados. O homem não se conformava com o fim do relacionamento e a situação se agravou depois que a mulher encontrou outro companheiro.

O réu ficou no hospital por alguns dias e estava preso desde então.