Têm alface, chicória, brócolis, beterraba, cebolinha verde, salsinha e manjerona.

Por DANIELE MENDES DE MELO da ASCOM PML,
Lages/SC

📷 Marcio Proença / Divulgação


A culinária prende primeiramente pelos olhos, logo pelo seu poder aromatizante e por fim o paladar. E se o alimento for colorido, orgânico e colhido fresquinho direto da horta, melhor ainda, até o gosto parece diferente. Interessada em colaborar com os alimentos que estão na mesa dos lageanos todos os dias, atribuindo ao prato maior carga nutritiva, a prefeitura de Lages idealizou o Projeto Colheita Feliz. A 47ª horta do Projeto foi entregue oficialmente à comunidade na tarde desta terça-feira (12 de novembro) ao bairro Caravágio, ao lado do Centro de Educação Infantil Municipal (Ceim) Maria Sônia de Quevedo (antiga Slan), na rua José Veríssimo, pelo prefeito Antonio Ceron; vice Juliano Polese e o secretário da Agricultura e Pesca, Osvaldo Uncini, acompanhados por secretários e servidores municipais, vereadores e lideranças. As cerca de 2.500 mudas de hortaliças e temperos foram cultivados no Horto Municipal do bairro Guarujá e são alface, chicória, brócolis, beterraba, cebolinha verde, salsinha e manjerona. “As hortas são bem aceitas em todos os lugares onde são colocadas, e torcemos para que todas sejam bem cuidadas. São hortas bonitas e idealizadas de forma adequada para suprir as necessidades das famílias”, reitera o prefeito Antonio Ceron.

O terreno institucional foi cedido pela Slan à prefeitura/Secretaria da Educação em comodato por um período de dez anos e, do total da área, 800 metros quadrados foram destinados à horta do Colheita Feliz, em que foram feitos canteiros retangulares e em forma de mandalas estruturadas com bambus, em um conceito ecologicamente correto e de baixo custo, além de haver um espantalho colorido para dispersar os pássaros. Parte da horta foi montada com adubação e a outra com disposição de serragem para uniformização, produto esteticamente mais agradável.

O lote foi cercado com telas metálicas e palanques de madeira pintados de branco, harmonizando o ambiente. No portal de entrada, a identificação do Projeto e trabalho em grafite, do artista Everton Figueiró. “Nossos técnicos estão dispostos a ajudar no caso de dúvidas sobre o manejo das plantas. Nossa missão é fazer o possível para que as famílias desenvolvam o ímpeto de solidariedade e cada uma ter também uma hortinha em casa para economizar e combater o desperdício”, pontua o secretário Osvaldo Uncini.

Dá apetite só de olhar

No Caravágio moram em torno de 1.500 famílias e 18% são carentes financeiramente. É para elas e para incrementar a merenda das crianças do Ceim que irão os alimentos colhidos na horta comunitária. “Não se faz nada sozinho neste mundo, por isto quatro famílias já se comprometeram a ajudar a cuidar da horta e sempre ter verdura para distribuir a quem mais precisa independentemente da época do ano”, observa o presidente da Associação de Moradores do Caravágio, Paulo Ribeiro (Paulinho).

Nos espaços aos arredores da horta, a Associação de Moradores já cultiva feijão preto e feijão de vagem, portanto, já pratica a coletividade. “O terreno onde agora está o Colheita Feliz estava ocioso, tinha mato e lixo depositado irregularmente. Nós limpamos tudo, retiramos entulhos, e agora nem dá pra dizer que é o mesmo lugar. Está lindo e funcional”, comemora o coordenador do Colheita Feliz, João Cristiano Chagas. Já o Projeto AliMÃEtação (aproveitamento de alimentos e cascas na preparação de bolos, compotas e conservas, assim como velas aromatizadas, sabões e sabonetes) é coordenado por Evelin Souza e também está vinculado à Secretaria da Agricultura e Pesca. A Associação do Caravágio realiza um trabalho social com ajuda do Banco de Alimentos/Secretaria da Assistência Social e Habitação, da qual recebe doações de frutas e verduras para repasse a famílias, faz campanhas para angariar agasalhos de inverno e no Natal distribui doces e lanches arrecadados por empresas amigas do bairro.

Por intermédio da Secretaria da Agricultura e Pesca, hortas comunitárias já foram montadas em 47 bairros da cidade, sob os princípios da sustentabilidade ambiental, economia solidária, saúde e trabalho em grupo, já que a prefeitura prepara as hortas e as entrega para a comunidade cultivar as hortaliças, verduras, temperos e chás medicinais, mantendo a conservação em dia, com capina, irrigação das plantas, organização, colheita e replantio para assegurar as saladas praticamente o ano inteiro. A 48ª horta comunitária será inaugurada no bairro Santa Cândida, na rua Fernando Nunes Audibert, e a 49ª será entregue no Caça e Tiro, situada atrás da Associação de Moradores, ambas em data a ser definida. 

Porteira Adentro

O Programa Porteira Adentro já beneficiou 195 famílias em 175 locais da área rural do município de Lages entre 2017 e 2018, com recursos na ordem de R$ 6 milhões do Governo do Estado e mais cerca de R$ 2 milhões do Município. Entre dezembro deste ano e janeiro de 2020 mais 100 famílias devem ser atendidas, com recursos da Câmara de Vereadores, valores sobressalentes a serem devolvidos à prefeitura. Estes serviços serão licitados.

Até final de 2020 o Porteira Adentro deve atender 400 famílias com serviços de drenagem pluvial nas laterais das vias rurais; alargamento de estradas, e cascalhamento, nivelamento e compactação, facilitando o escoamento de produtos da agricultura e pecuária e a mobilidade dos veículos de transporte escolar.