A chuva alcançou o acumulado de 50 milímetros em uma hora, causando inundações, alagamentos, enxurradas, destelhamentos, erosão, queda de muros e árvores.

Por ALINE TIVES da ASCOM PML,
Lages/SC

📷 Defesa Civil / Divulgação

Devido à forte chuva que chegou no início da noite deste domingo (10 de novembro), causando danos à população, o prefeito Antonio Ceron decretou situação de emergência no Município. Em virtude das dificuldades financeiras, a administração municipal não dispõe de condições para reparar, a curto e médio prazo, os prejuízos causados em diversos bairros da cidade. “Estamos solidários com as famílias atingidas, agindo de forma a ajudar no que for preciso, em caráter urgente. Vamos unir forças para que todos consigam se estabilizar e amenizar o sofrimento”, declara o prefeito.

De acordo com o secretário executivo da Coordenação Municipal de Proteção e Defesa Civil de Lages, Jean Felipe de Souza, o decreto irá facilitar a compra de materiais necessários, sem precisar de licitação, e assim agilizar o processo de ajuda às famílias que foram cadastradas. “Felizmente não temos ninguém desabrigado, mas muitas famílias foram afetadas. Precisamos comprar materiais de limpeza e kits para acomodação, como roupas de cama e utensílios domésticos, o mais rápido possível”, informa o executivo.

A chuva alcançou o acumulado de 50 milímetros em uma hora, causando inundações, alagamentos, enxurradas, destelhamentos, erosão em vias e terrenos, queda de muros e árvores e deslizamentos de terras na área urbana do município. Foram atendidos cerca de 150 chamados à Defesa Civil em 30 bairros da cidade.

O decreto também autoriza a convocação de voluntários para reforçar as ações de resposta ao desastre e realização de campanhas de arrecadação de recursos junto à comunidade. Além de iniciar o processo de desapropriação, por utilidade pública, de propriedades particulares comprovadamente localizadas em áreas de risco.