Somando os estandes dos pavilhões cobertos e os externos, são mais de 100 expositores estrategicamente situados no Parque Conta Dinheiro.

Por PAULO CHAGAS da ASSESSORIA DE IMPRENSA
DA EXPOLAGES,
Lages/SC

📷 Maurício Santos / LD Comunicação

O Parque Conta Dinheiro já está tomado. A Expolages 2019 ganha contornos de uma grande feira aberta a grandes negócios nos segmentos da indústria, do comércio, e do agronegócio. A semana começou movimentada. Expositores, aos poucos, trabalham na logística de seus estantes para que tudo esteja pronto a partir desta quinta-feira (10), quando acontece a abertura oficial, marcada para às 19h30. Funcionários especializados são os encarregados da montagem e da finalização de cada espaço. Somados os estandes dos pavilhões cobertos e os externos, são mais de 100 expositores estrategicamente situados no Parque de Exposições Conta Dinheiro.

No tocante aos animais, a chegada acontece gradativamente. Assim que pesados e inspecionados na recepção, logo são acomodados nas mangueiras e nos galpões. Ao todo são mais de 1,7 mil. Os cavalos de algumas raças se juntam ao gado e às ovelhas. Na sexta-feira (11), à tarde, o principal leilão, de Gado Geral, terá em torno de mil animais. Não menos importantes, os leilões de reprodutores (touros) e dos cavalos das raças Quarto de Milha e Crioulo. “Criadores e compradores estão otimistas quanto à aceitação e à comercialização de todos os animais que vão estar na pista de remates José Arruda Ramos”, ressalta o presidente do Sindicato Rural, Márcio Pamplona.

A Expolages tem atraído expositores de outros municípios. Exemplo da loja de móveis de Catanduvas, do Meio Oeste, que trabalha no melhoramento de descarte dos resíduos florestais, e cria belas peças exclusivas, com excelente aproveitamento da madeira. A empresa tem apenas três anos, e participa pela segunda vez da Expolages. Segundo a proprietária Rosana Heberle, quando esteve no evento em 2017, as vendas foram muito boas. “Gostei muito da Expolages, e por isso decidi voltar. A expectativa de comercialização é das melhores”, argumenta a empresária.