Lages será referência estadual no tratamento adequado de esgoto, saltando de 20% para 80% de cobertura na área urbana.

Por ALINE TIVES da ASCOM PML,
Lages/SC

📷 Marcio Proença / Divulgação

Toda a arrecadação da Secretaria Municipal de Águas e Saneamento (Semasa), uma das maiores em termos de fluxo de recursos do Município, é investida em melhorias para a população, seja na construção de novas estruturas ou manutenção das redes antigas. Entre os investimentos mais expressivos nos últimos três anos de gestão está a finalização das obras dos complexos Araucária e Ponte Grande.

Também foram implantadas novas redes de água e esgoto, distribuição de caixas d’água, reforma da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Lourival Bet, implantação de elevatórias no Centro, licitação para construção de um novo reservatório de água, entre outras obras. “Com todo esse investimento, Lages será referência estadual no tratamento adequado de esgoto, saltando de 20% para 80% de cobertura na área urbana. Também estamos investindo forte no abastecimento de água tratada na cidade, sempre pensando no bem estar da população”, destaca o prefeito Antonio Ceron.

Somente no Complexo Araucária foram investidos aproximadamente R$ 27 milhões, com recursos federais através da Caixa Econômica Federal e contrapartida da prefeitura. Um conjunto de infraestrutura de esgotamento sanitário, inaugurado recentemente após oito anos de trabalho, que contempla inicialmente cerca de cinco mil famílias (25 mil pessoas) residentes em oito bairros de Lages e em dois loteamentos.

O conjunto de obras compreende a implantação de 40 mil metros de rede coletora, cinco elevatórias e uma Estação de Tratamento de Esgoto (ETE - Araucária), beneficiando os bairros Promorar; Santo Antônio; São Luiz; Centenário; Santa Catarina; Santa Clara; Novo Milênio e Araucária. Com isto, Lages passou a ter 50% de sua área urbana coberta com sistema de coleta e tratamento de esgoto.

Outra grande obra em andamento com participação da Semasa é a execução do projeto de construção da avenida Ponte Grande, que inclui a implantação de rede central que coletará o esgoto sanitário de 13 bairros. Será um avanço significativo para a população, pois somando ao Complexo Araucária, Lages terá 80% de sua área urbana coberta com sistema adequado de esgotamento sanitário.

Segundo o secretário da Semasa, Jurandi Agustini, a implantação da rede de esgoto da avenida Ponte Grande está cerca de 50% concluída. As redes de esgoto de toda sua extensão e bairros adjacentes serão conduzidas até o novo módulo da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) do bairro Caça e Tiro. Dois módulos estão em funcionamento (com capacidade de tratamento para 30 mil habitantes cada) e o terceiro em construção, com investimento de cerca de R$1,5 milhão. Atualmente as obras de implantação da rede coletora estão em andamento no trecho entre as ruas Café Filho e Cirilo Vieira Ramos.

600 famílias carentes ganharam caixas d’água

📷 Arquivo / ASCOM PML

A distribuição gratuita de caixas d’água, com capacidade para 310 litros, tem o objetivo de resolver o eventual problema de falta de água nos bairros, beneficiando famílias com menos condições financeiras. Com uma caixa d’água em casa, os moradores têm condições de enfrentar a escassez por até dois dias. Até agora já foram distribuídas 600 caixas, nos bairros Guadalajara, Gralha Azul; Vista Alegre; Novo Milênio; Santa Helena; Santa Clara; Morro Grande; Santa Catarina e Guarujá. A meta é chegar a mil famílias contempladas. As comunidades do interior também receberam, com distribuição nas localidades de Macacos, Santa Terezinha do Salto, Pedreira e Distrito de Índios. “Uma ação que parece simples, mas que traz um benefício muito grande para as famílias principalmente com a chegada do verão”, salienta o prefeito.

Atenção constante na manutenção das redes

Até setembro deste ano, foram implantadas uma extensão de rede de esgoto num total de 15 mil metros, em diversas ruas e bairros, contemplando a avenida Duque de Caxias. Já quando se trata de rede de água, foram implantados cerca de 12 mil metros.

Outro grande investimento foi a reforma completa da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Lourival Bet. Esta unidade é responsável pelo tratamento de 134 residências e uma população de 536 habitantes. Foi investido um valor de aproximadamente R$ 200 mil nesta reforma.

Investimentos e obras em andamento

Está em processo de licitação a construção do novo reservatório metálico, com capacidade para armazenar seis mil metros cúbicos de água, que será implantado em terreno ao lado da Epagri. Este será o maior reservatório da cidade e trabalhará na prevenção da falta d’água nos bairros. Terá um investimento de R$ 3 milhões, com recursos próprios. “Infelizmente alguns municípios do estado estão sofrendo com a falta de água por motivos diversos. Em Lages estamos investindo em mais estrutura para prevenir possíveis situações que possam resultar em falta de água para a comunidade”, ressalta o prefeito Ceron.

Também está em licitação a construção da nova Estação de Tratamento de Água – ETA no bairro Popular, com capacidade para tratar 300 litros por segundo. “Será um ganho para aquela região, pois a ETA antiga tem capacidade para tratar até mil litros por segundo, então a capacidade deverá triplicar”, aponta o secretário Jurandi.

E foram adquiridos novos motores para a captação de água bruta – Erabi III, com atuação no rio Caveiras. “Este é um sistema submerso que apresenta um melhor resultado, com menos gasto com energia e mais eficácia para bombear a água”, informa o secretário.

Relatórios mensais divulgados pela Semasa em seu site (www.semasalages.com.br/relatorio), através do trabalho da empresa responsável, confirmam que a água consumida em Lages é de qualidade, ou seja, dentro das características e parâmetros técnicos exigidos pelos órgãos competentes. A rede de distribuição é monitorada em pelo menos 140 pontos distintos e comprovam que não há alguma desconformidade com a qualidade da água no município. 

Mais um R$ 1 milhão foi investido na implantação de novas elevatórias para a rede de esgoto no Centro, acabando com o mau cheiro, uma reclamação antiga dos moradores.

E pensando no planejamento futuro, neste ano foi contratada a Universidade do Extremo Sul Catarinense – Unesc para a atualização do Plano Municipal de Saneamento Básico, que estabelece as diretrizes nacionais para o saneamento básico para os próximos anos. A previsão é de daqui a aproximadamente 12 meses o Plano esteja concluído.

Tarifa é uma das mais baratas no Estado

Mesmo com tantos investimentos, Lages ainda apresenta a menor taxa de cobrança de água e esgoto, comparando com 195 cidades atendidas pela estatal responsável. Em Blumenau é cobrada uma taxa de R$ 67,53, em Joinville a taxa é de R$ 63,88 e em Lages a taxa é de 54,67.