Diagnóstico completo servirá de base para a tomada de decisões e deixar as famílias mais tranquilas quando se aproximam as chuvas torrenciais com altos índices de volume acumulado.

Por DANIELE MENDES DE MELO* da ASCOM PML,
Lages/SC

📷 Marcio Proença / Divulgação

O órgão de proteção à população de Lages nas situações de desastres naturais, Defesa Civil, irá participar da audiência pública cujo assunto será a devolutiva do Centro de Ciências Agroveterinárias (CAV), da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc), referente aos dados analisados do projeto de contenção de enchentes, inundações, alagamentos, cheias e enxurradas em áreas classificadas como de alto risco no município, com o intuito de prevenção nos trechos hídricos nos rios Carahá e Caveiras. A audiência será promovida pela Câmara de Vereadores na noite desta quarta-feira (23 de outubro), às 19h30min, no Plenário Nereu Ramos.

Os recursos para os estudos técnicos são provenientes de projetos elaborados pela equipe técnica da Defesa Civil, protocolados e aprovados no Ministério de Desenvolvimento Regional (antigo Integração Nacional) na ordem de R$ 898 mil. “Pela primeira vez teremos, enfim, uma análise técnica de especialistas em um dos problemas mais sérios de Lages em épocas de chuva. Até então nos deparávamos com palpites, hipóteses empíricas e uma série de opiniões e críticas. A prefeitura de Lages se sente aliviada em obter um documento detalhado a ser esmiuçado para que possamos delinear e executar as medidas plausíveis à amenização dos impasses, oferecendo segurança a famílias tão castigadas que têm de começar sua vida do zero tantas vezes por ano”, argumenta o prefeito Antonio Ceron.

A Defesa Civil de Lages lembra que o estudo é de extrema relevância para o município, pois é fundamental compreender como os corpos hídricos e as bacias hidrográficas se comportam para analisar quais obras seriam viáveis e apresentariam êxito na mitigação de inundações. “Além disto, o estudo gerou diversos produtos importantes para o desenvolvimento territorial da cidade, que poderão ser utilizados por outras secretarias e pela população lageana”, observa Jean Felipe.

O estudo de viabilidade técnica é composto por oito metas ou etapas: Estudo de concepções; estudo hidrológico; seções topo batimétricas; modelagem hidrodinâmica; estudos ambientais; sondagens preliminares; geoprocessamento, e aquisição de equipamentos.

*Com colaboração de Ari Junior