Aproximadamente 85% das cataratas são diagnosticadas em pessoas com idade acima de 50 anos.

Por FLAVIA MOTA,
Florianópolis/SC

📷 Divulgação

Uma das principais causas de cegueira no mundo, a catarata é uma doença caracterizada pela perda de transparência do cristalino, lente natural, cuja função é propiciar o foco da visão em diferentes distâncias. A evolução costuma ser lenta, e a doença pode afetar primeiro um dos olhos e só mais tarde o outro.

O diagnóstico é feito em consultório, por meio da avaliação oftalmológica. Sintomas como se a lente dos óculos estivesse embaçada ou como se houvesse uma névoa diante dos olhos, ou ainda a visão dupla, sensibilidade à luz e imagens distorcidas, são alguns sinais de que a visão pode estar comprometida. “Muitos pacientes tem o hábito de achar que é preciso aumentar o grau dos óculos ou iniciar o uso dele, mas em alguns casos o problema não está neste acessório, o problema está na parte interna do olho, está na catarata”, explica a médica oftalmologista, Denise Caon Rahmeier.

📷 Flavia Mota / Divulgação
O tratamento clínico, como prescrição de óculos, tem efeito transitório. A correção cirúrgica é a única opção para recuperação da capacidade visual do portador de catarata.

A catarata pode ser congênita (casos raros) ou adquirida. A principal causa da doença é o envelhecimento, mas alguns hábitos podem ocasionar aparição da doença, como tabagismo, diabetes, algumas doenças reumatológicas, entre outras.  “O uso prolongado de colírios a base de corticoides e alguns outros medicamentos  e ainda traumas na região dos olhos também podem contribuir com o surgimento da doença, Por isso, sempre informe seu médico que tipo de tratamento realizou, por quanto tempo e se já passou por algum tipo de lesão nos olhos”, frisa.

A prevenção

Levando em conta a comprovada relação entre radiação solar e catarata, uma das recomendações mais importantes para prevenir ou ao menos atrasar o surgimento da doença é vestir óculos escuros. Vale também o alerta para jamais olhar diretamente para o sol.

Não usar colírios sem a devida prescrição médica, especialmente aqueles com corticoides na fórmula, é outra orientação para manter a visão em ordem.

Hábitos saudáveis fazem parte da estratégia de prevenção. Um deles é não fumar. E manter um cardápio repleto de vegetais proporciona um aporte importante de vitaminas como o betacaroteno, presente na cenoura, por exemplo. No organismo, esse nutriente se transforma em vitamina A, reconhecida por proteger os olhos contra a catarata.