Declarações foram feitas a apoiador na porta do Palácio da Alvorada, em Brasília. As informações são do jornal Estado de S. Paulo.

Por LD*,
Lages/SC

📷 Dida Sampaio / Estadão Conteúdo

Um apoiador do presidente Jair Bolsonaro (PSL) o abordou na porta do Palácio da Alvorada, em Brasília, e identificou-se como sendo um pré-candidato nas eleições de 2020 em Recife/PE pelo PSL. O presidente, então, teria dito para o apoiador para “esquecer o PSL” e ainda afirmou que o presidente da sigla, Luciano Bivar “está queimado para caramba”.  As informações são do jornal Estado de S. Paulo.

O presidente da República costuma atender aos apoiadores na porta do Palácio da Alvorada, pela manhã, para conversar e tirar fotos. Em uma dessas abordagens, um apoiador se aproximou e identificou-se como sendo um pré-candidato no Recife pelo PSL. Bolsonaro cochichou em seu ouvido: “Esquece o PSL”. Mesmo assim, o homem gravou um vídeo junto ao presidente em que diz: “Eu, Bolsonaro e Bivar, juntos por um novo Recife”. Bolsonaro, então, pediu para que ele não divulgasse a gravação. “Oh, cara, não divulga isso não. O cara (Bivar) está queimado para caramba lá. Vai queimar o meu filme também. Esquece esse cara, esquece o partido”, disse.

Segundo a publicação, o partido é alvo de disputas internas e sua bancada na Câmara está dividida, com ameaças de debandada e tem o comando de Luciano Bivar contestado por aliados do Presidente da República que tentam tomar as rédeas da sigla visando as eleições municipais de 2020.

O presidente repreendeu o rapaz, ele respondeu que iria esquecer o PSL e gravou um novo vídeo, mas desta vez sem citar o nome do partido e do dirigente. “Viva o Recife, eu e Bolsonaro”.

De acordo com o Estadão, a conversa foi gravada por um outro apoiador que também aguardava o presidente no local e publicada no canal do YouTube “Cafezinho com Pimenta”.

O porta-voz da Presidência da República, o general Otávio Rêgo Barros, afirmou na última segunda-feira (7), que não havia da parte do Presidente Jair Bolsonaro nenhuma “formulação com relação a uma suposta transição de partido”.

*Com informações do Estado de S. Paulo