Acabe com todas as suas dúvidas sobre esse assunto agora, inclusive os tratamentos indicados para esse tipo de pele.

Por LD,
Lages/SC

📷 Leah Kelley from Pexels



Se você tem, conhece alguém ou ouviu o termo rosácea, é possível que não tenha a menor ideia do que isso significa.

Tendo isso mente, acabe com todas as suas dúvidas sobre esse assunto agora, inclusive os tratamentos indicados para esse tipo de pele.

Afinal, saber o que e como cuidar da pele é essencial em todas as idades e para qualquer um não é mesmo?

Então, vamos lá!

O que é rosácea?

Para ser mais fácil de entender, vamos começar explicando exatamente o que é a rosácea, o que permite a você procurar um médico logo no início desse problema.

A rosácea pode ser definida como uma inflamação crônica da pele.

Frequentemente, essa inflamação ocorre no rosto, deixando a pele mais avermelhada.

Também chamada de eritema facial, é mais comum a partir dos trinta anos de idade e mais comum em pessoas com tons de pele claros.

Seguindo essa linha, a rosácea acontece devido a alguma alteração vascular, responsável pela inflamação.

Essa doença pode ser progressiva quando o paciente não procura e segue com o tratamento.

Os tipos de rosácea, que são cinco, variam de acordo com a maneira como a doença se manifesta, mas também existe a possibilidade de mais de um tipo se manifestar.

Para ter em mãos todas as informações, os tipos de rosácea são:

·        Eritemato Telangectasia, mais comum próximo das asas nasais e geralmente passa a sensação de a pele estar queimando ou pinicando;
·        Pápula Postulosa, geralmente surgem em surtos, semelhante aos cravos e espinhas;
·        Fimatosa, tipo mais raro e que deixa a pele mais dura e espessa;
·        Ocular, quando a doença atinge os olhos e provoca vermelhidão e descamação;
·        Granulomatosa, nessa rosácea aparecem nódulos pequenos e de cor acastanhada.

Causas e sintomas da rosácea

Até o momento, a causa principal da rosácea continua um mistério, mas diversos especialistas apontam que há uma pré-disposição genética.

Ou seja, pode acontecer com qualquer pessoa e, ainda assim, é mais comum quando há casos na família.

📷 Emma Bauso from Pexels



Por outro lado, existem alguns fatores de risco, que podem funcionar como gatilhos para o aparecimento da rosácea.

Entre os principais fatores estão:

·        Consumo em excesso de alimentos picantes e bebidas alcóolicas;
·        Exposição a temperaturas extremas;
·        Excesso de exposição ao sol;
·        Banhos muito quentes;
·        Saunas;
·        Estresse.

Também pode acontecer de alguns remédios com ação de dilatar os vasos sanguíneos, causem a rosácea.

Já na questão de sintomas, é comum que muitos pacientes descubram sobre essa doença ao procurar um médico.

Dessa maneira, a apresentação dos sintomas indica o problema e, posterior a isso, dá-se início ao tratamento.

Os sintomas que você deve notar incluem:

·        Vermelhidão na face;
·        Pequenos vasos que se tornam visíveis no rosto;
·        Áreas ásperas no rosto;
·        Nariz mais alargado;
·        Irritação e inchaço.

É importante destacar que os sintomas e inflamações podem ser variadas e que cada paciente pode começar a ter esse problema de pele de forma mais leve ou não.

Tratamentos para Rosácea

O primeiro passo de tratamento para a rosácea é buscar por um médico especializado, nesse caso, o dermatologista.

E aqui começa a grande questão: essa doença pode ser controlada e é possível viver normalmente com ela, mas não existe cura.

📷 Rawpixel.com / Pexels

O profissional vai começar analisando os sintomas que você vai informar, fazer perguntas sobre intensidade e quando começou, além de verificar como a pele está.

Depois do diagnóstico confirmado, os tratamentos são escolhidos de acordo com a intensidade da doença.

Em resumo, qualquer um dos tratamentos da rosácea começa com a mudança de hábitos ou estilo de vida, reduzindo os fatores que prejudicam os tecidos.

Por isso, existem algumas dicas que você deve seguir, sendo elas:

·        Uso diário de protetor solar;
·        Uso de sabonetes neutros e/ou suaves;
·        Uso de hidratantes ideias para o seu tipo de pele.

Além do mais, é comum o uso de alguns medicamentos, como o metronidazol e azelan.

Esses remédios têm como foco a redução da inflamação, para reduzir possíveis sintomas de ardência ou desconforto e evitar as marcas que a rosácea podem causar.

Vivendo com a rosácea

Por ser uma doença crônica, que não tem cura, o paciente precisa aprender a conviver com a doença, adaptando a rotina e percebendo sinais.

Além de evitar alimentos fortes, bebidas e exposição solar, procurar um médico para lidar com as marcas da doença é fundamental para garantir mais qualidade de vida e autoestima.

Com isso, surge a cirurgia e dermoabrasão.

Geralmente, esses procedimentos são indicados para quadros mais graves, com enfoque em recuperar a aparência natural da pele.

Primeiramente, a cirurgia, é feita para conseguir modelar novamente as áreas do rosto que foram afetadas.