Os serviços estão iniciando concentrados na terraplanagem, sobre a qual serão instaladas as plantas de MDF e de co-geração de energia elétrica.

Por DANIELE MENDES DE MELO da ASCOM PML,
Lages/SC


📷 Daniele Mendes de Melo / ASCOM PML

Desde a manhã de segunda-feira (26 de agosto), praticamente não são desligados os motores dos veículos pesados em movimento no canteiro de obras de instalação da fábrica da empresa Berneck S.A. Painéis e Serrados, à margem da BR-116, próximo à ponte do rio Caveiras, na divisa entre Lages e Capão Alto. São aproximadamente 40 homens e mais 50 máquinas/veículos em atuação intensa. Os serviços estão iniciando concentrados na terraplanagem, sobre a qual serão instaladas as plantas de MDF e de co-geração de energia elétrica.

A movimentação de terra, entre corte e aterro, chega a 1,8 milhões de metros cúbicos, ou seja, são 130 mil cargas de caminhão. O material de escavação fica no próprio local.

O gerente de implantação da Berneck, Silvio Novelli, explica que existem algumas pendências formais do Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina (IMA/SC) com relação à Licença Ambiental de Instalação (LAI) da planta de serrados, o que deverá ser equacionado nos próximos dias. Para esclarecer, há duas LAIs - uma para o MDF e outra para a serraria, com o intuito de se obter o rápido andamento das obras. “Este assunto foi discutido pela manhã de terça-feira (27 de agosto) com o departamento jurídico da Berneck, e a expectativa é de que esta LAI específica esteja emitida no prazo de três semanas, extraoficialmente, pois ainda não há confirmação”, pontua Novelli.

Em razão do atraso na emissão da primeira LAI devido a alguns percalços já resolvidos, haverá um atraso no início da operação. A empresa já negociou um novo cronograma com os fornecedores para a entrega de equipamentos, já que não haveria local apropriado para a estocagem dos volumes de máquinas de grande porte em tempo hábil.

Neste momento calcula-se um atraso de quatro meses comparando-se ao previsto anteriormente. Portanto, o começo da produção comercial se dará em abril ou maio de 2021, o que antes estava planejado para janeiro daquele ano.

No ambiente de obras está o gestor de contrato da empresa Dalba Engenharia, de Guarapuava (PR), engenheiro civil, Michel Metz, terceirizada responsável pela execução de terraplanagem, drenagem e pavimentação. As etapas da sequência serão desenvolvidas por empresa vencedora de processo licitatório da Berneck.

Todos os equipamentos têm o tráfego e fluxo dentro do próprio espaço das obras, com exceção de eventual demanda mecânica de manutenção complexa fora. A manutenção primária básica, como troca de óleo e lubrificação, é feita no próprio local. “Os trabalhos estão transcorrendo normalmente e diariamente é feita uma integração de segurança com a finalidade de evitar acidentes. E, principalmente, o acesso à estrada da rodovia está sendo feito conforme as normas da ANTT e da concessionária Autopista Planalto Sul Arteris. Estamos extremamente cuidadosos com isto”, alerta Silvio Novelli.

Um corpo administrativo provisório foi montado para gerenciamento das obras, cujos profissionais estão divididos por funções. “Como sempre tem feito, a prefeitura tem nos apoiado incessantemente, sobretudo o prefeito Antonio Ceron e secretários têm trabalhado fortemente, colaborando com os resultados pretendidos pela Berneck. A empresa ficou muito satisfeita com o alcance deste objetivo, é importantíssima a preservação do meio ambiente e então o assunto deve ser tratado com atenção, é um passo de extrema relevância”, complementa Novelli.

Para o prefeito Antonio Ceron, a Lages otimista nunca deixou de apostar na Berneck. “As pessoas que passam pela 116 podem ver o retrato do progresso, um trabalho de excelência e referencial, com investimentos de envergadura e que devem gerar centenas de postos de trabalho, renda para as famílias, fomento à qualificação de mão de obra e desenvolvimento econômico para o município.”


📷 Daniele Mendes de Melo / ASCOM PML