O homicídio duplamente qualificado, mediante a utilização do meio cruel e feminicídio, ocorreu em dezembro de 2017, em Lages.

Por LD,
Lages/SC

📷 Taina Borges / TJ-SC

O homem até então acusado de ter matado a mulher na presença da filha foi condenado nesta terça-feira (10) em júri popular realizado no Fórum Nereu Ramos, no Centro de Lages. A sentença foi dada no início da noite desta terça-feira e o condenou a 18 anos de prisão em regime fechado.

O crime ocorreu em dezembro de 2017, em Lages, na presença da filha do casal, na época com dois anos de idade. Ele teria espancado a vítima até a morte, por asfixia, pois teve o pescoço quebrado. O homicídio foi duplamente qualificado, mediante a utilização do meio cruel e feminicídio.

O autor e a vítima tinham uma união estável fazia oito anos e, conforme denúncia feita pelo Ministério Público, nos últimos tempos o autor passou a demonstrar comportamento violento em relação à vítima e sua companheira. O réu, hoje com 28 anos, já cumpria a pena em regime fechado desde outubro de 2018.

Ao longo do processo, foram ouvidas 14 testemunhas. Quando interrogado pelo juiz Geraldo Corrêa Bastos, promotoria de justiça e defesa, durante a sessão, o homem negou as acusações.

Cabe recurso da decisão junto ao Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJ-SC) em Florianópolis.