Acordo será firmado nesta quarta-feira (14), às 19h, na sede do CRAS I, no bairro Popular.

Por VITÓRIA BITTENCOURT da ASCOM PML,
Lages/SC

📷 Polícia Militar de Santa Catarina / Divulgação

Em parceria com a Polícia Militar de Lages, o Centro de Referência de Assistência Social, Jandira Amorim (CRAS I), da Prefeitura, através da Secretaria de Assistência Social e Habitação, lançará nesta quarta-feira (14 de agosto) o Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (Proerd) para os pais e mães das crianças e adolescentes que participam das atividades deste equipamento de assistência. O evento está agendado para as 19 horas, na sede do CRAS I, localizado na Rua Lauro Liz Costa, no bairro Popular, e servirá como um piloto para os demais equipamentos públicos de Lages.

Além de orientar as crianças acerca da prevenção aos riscos sociais causadas pelas drogas e práticas de violência, a proposta agora é fazer com que os pais e mães pensem em como estão agindo com seus filhos, se há diálogo entre eles e se todos conhecem os efeitos e prejuízos das drogas na sociedade.

Segundo a coordenadora do CRAS I, Susane Koche, esse trabalho com os pais e mães era o que faltava na luta de prevenção às drogas e violência. “Muitas vezes nós trabalhávamos com as crianças e ao chegar em casa elas acabavam encontrando um ambiente de resistência, o que não tornava o trabalho cem por cento efetivo. Com essa proposta eu acredito que o diálogo em casa aconteça cada vez mais”, diz.

Além dos pais que estão no território do CRAS I, foram convidados também pais e mães de alunos das escolas NicanorRodrigues Goulart, Mutirão, Lupercio Oliveira Koeche, Saul de Athayde, Cora Batalha da Silveira e Zulmira Auta da Silva.

A coordenadora conta que mais de 100 pessoas são esperados para este primeiro encontro. “Em contato com os diretores de algumas escolas municipais e estaduais da região e os Sargentos Goedert e Guimarães da PM, conseguimos firmar um contrato. Então foram convidados 15 pais e mães de crianças assistidas pelo CRAS I e mais 15 de cada escola. Espero que todos aceitem o convite e estejam abertos aos ensinamentos”, finaliza Susane.