Dos 36 canteiros de alface lisa, crespa e americana; beterraba; couve; brócolis; cebolinha; salsinha; orégano; poejo; camomila; hortelã; lavanda, e cravina (repelente e atrai insetos polinizadores), 32 serão zelados por famílias que irão levar os alimentos para casa..

Por DANIELE MENDES DE MELO da ASCOM PML,
Lages/SC

📷 Pablo Gomes / ASCOM PML

As mais de duas mil mudas de verduras, hortaliças, temperos e ervas medicinais (chás) sem nenhuma gota de agrotóxico plantadas na 43ª horta do Projeto Colheita Feliz, inaugurada na tarde desta quinta-feira (8 de agosto), no bairro Guarujá, em área institucional da prefeitura de 480 metros quadrados, situada na rua Antonio Mendes da Silva. Esta é a primeira horta do Projeto elaborada e montada sob os preceitos do novo modelo ecologicamente mais agradável, consistindo em canteiros com bambus em forma de mandalas, em vez de pneus. E o portal de chegada da horta conta com o trabalho do grafiteiro Everton Figueiró, com desenhos de feijão de vagem em volta dos alicerces. A Secretaria da Agricultura e Pesca implantou a horta comunitária e os próprios moradores são encarregados de fazer a manutenção periódica do espaço e o replantio a cada ano na produção. Dos 36 canteiros de alface lisa, crespa e americana; beterraba; couve; brócolis; cebolinha; salsinha; orégano; poejo; camomila; hortelã; lavanda, e cravina (repelente e atrai insetos polinizadores), 32 ficarão sob responsabilidade de 32 famílias sob vulnerabilidade social (a horta está organizada com placas de identificação com seus nomes), e o restante será utilizado por acadêmicos do curso superior de Agronomia da Uniasselvi para as aulas práticas da faculdade e posteriormente será feita a coleta para doação à preparação do “sopão” feito por voluntários, com porções entregues a famílias carentes toda quinta-feira às 15h30. Comida caseira feita com amor, sopa composta por arroz, macarrão, legumes, frango e carne de gado. “O Colheita Feliz inspira as pessoas a produzirem seu alimento. Uma horta é mais do que isto, é uma maneira de economia solidária e formata uma rede de relacionamento melhor”, acredita o vice-prefeito, Juliano Polese.

Tem para todos: pai, mãe e crianças

Um terreno ocioso ao lado da horta comunitária poderá abrigar uma extensão da lavoura caso haja demanda da comunidade e os moradores cuidem de mais este ambiente. Por enquanto está já garantido um ambiente vasto de onde sairá nutrientes ricos direto para os pratos na mesa. “Estas famílias vão poder levar estes alimentos prontos e crescidos para casa. Consumir verduras e alimentos coloridos cultivados na terra é sinônimo de saúde. Uma horta comunitária tem baixo custo para preservação e gera economia para as famílias, pois não é preciso comprar a toda hora”, analisa o secretário da Agricultura e Pesca, Osvaldo Uncini, complementando, ainda: “Eu sou produtor de soja, milho e feijão, e sei da importância de ter uma horta em casa. Lanço um desafio aqui no Guarujá: A família que melhor cuidar será premiada em forma de valorização depois de feita a avaliação.” Os coordenadores do Colheita Feliz são Cristiano Chagas e Evelin Souza. Entre as autoridades presentes na solenidade de inauguração estavam o presidente da União das Associações de Moradores, Antonio Carlos Costa (Tita); o diretor na Agricultura e Pesca, Ozair Coelho (Polaco), e vereadores, bem como entidades parceiras da Agricultura: Projeto Mesa Brasil, do Sesc, e Banrisul.

O presidente da Associação de Moradores do Guarujá, Luis Carlos Alves Borges, lembra que no Guarujá e nos loteamentos Vila Esperança, Morada do Sol e Moradas Lages residem em torno de 20 mil pessoas e que a horta irá suprir a necessidade alimentar de cerca de dezenas de pessoas, pois as famílias cuidadoras poderão distribuir os itens entre seus parentes e amigos. “Esta parceria entre a Secretaria e a Associação é fundamental. Estas medidas de apoio para matar a forme de quem precisa são dignas de reconhecimento. Se houver excesso de produção na horta, encaminharemos para feirinhas. Temos na Associação mais de 320 famílias cadastradas para receber as porções de sopa às quintas e kits de alimentos doados por comerciantes. Alimento já é bom por si só, e se for saudável, melhor ainda”, reitera o presidente.

De onde vem tanta coisa boa?

As mudas de saladas, temperos e legumes são plantadas e cultivadas no Horto do Guarujá, onde existe uma horta demonstrativa e estrutura suficiente para abastecer as hortas comunitárias de bairros, escolas, Ceims, entidades filantrópicas e campanhas solidárias e beneficentes com almoços e jantares para arrecadar fundos em situações especiais. No Horto existem duas estufas com capacidade de 100 mil mudas por mês. O Horto é visitado por estudantes das redes públicas municipal e estadual, idosos e agricultores que usufruem da assistência técnica prestadas por especialistas da Secretaria da Agricultura e Pesca. A equipe da Secretaria é formada por técnicos em agropecuária e agroecologia, engenheiro agrônomo e veterinários.

A próxima horta comunitária engatilhada estará no bairro Caravágio, além de estarem em andamento hortas em Escolas Municipais de Educação Básica (Emebs) e Centros de Educação Infantil Municipais (Ceims). Oficinas do Projeto Alimãetação - Nutrindo com Conscientização serão realizadas no Centro de Referência de Assistência Social (Cras IV), no bairro Tributo, quando são ensinadas  aos cidadãos dicas de feitio de bolos, sabonetes e sabões, a partir do aproveitamento de hortaliças sem desperdício e sem judiar do meio ambiente. Um espantalho também será confeccionado e a ideia é ensinar com diversão, empatia e funcionalidade.