Em Lages, foram coletados 4.200 bitucas entre o terminal de ônibus e o parque Jonas Ramos, o Tanque.

Por ALINE TIVES da ASCOM PML,
em Lages/SC

📷 Divulgação
Duas cidades do Planalto Catarinense, Lages e Ponte Alta, participaram da ação internacional “Montanha da Vergonha” realizada pelo projeto “Mundo Sem Bitucas”, no último domingo (21 de julho). O projeto é um trabalho de conscientização e limpeza do espaço público referente às bitucas de cigarro, pois estas são consideradas um dos principais poluentes do meio ambiente, principalmente dos oceanos, superando até mesmo o efeito poluidor das sacolas plásticas. Apenas uma bituca de cigarro pode contaminar até mil litros de água, pois nesta bituca podem ser encontrados cerca de 4,7 mil substâncias tóxicas.

Em Lages, esta ação foi realizada no Centro da cidade com um grupo de cinco voluntários do Centro de Ciências Agroveterinárias (CAV/Udesc), integrantes do Projeto Lixo Orgânico Zero composto pelo professor Germano Güttler e pelos estudantes Beatriz Souza, Elder Schons Junior, João Vitor Schons e Victória Varela Silva. Foram coletadas 4.200 bitucas entre o terminal de ônibus e o parque Jonas Ramos, o Tanque.

Em Ponte Alta o trabalho foi coordenado pela ativista ambiental Marcia Ferreira Zart, que atua no projeto “Cidade Limpa Ponte Alta”, com a participação das voluntárias Harionay, Marlene, Arielle e Suellen onde foram coletadas 2.320 bitucas no entorno da capela mortuária. Os trabalhos de “caça as bitucas” foi realizado por duas horas. Os voluntários deste trabalho também coletaram depoimentos de grupos de pessoas e famílias que se mostraram interessados nesta causa e demonstraram grande receptividade e apoio ao movimento tão importante para o meio ambiente.

Ao final destes trabalhos, as bitucas coletadas foram amontoadas naquilo que chamamos de “Montanha da Vergonha”. O intuito foi de mostrar a população os efeitos negativos que a ponta de cigarro traz para o ambiente, assim como a conscientização e a necessidade do descarte correto deste resíduo altamente poluidor.

Como tudo começou

Este movimento internacional foi iniciado por Miquel Garau Ginard na Espanha, no ano passado, e foi introduzido aqui no Brasil pela administradora Natália Zafra Goettlicher. Atualmente 19 cidades do Brasil e outras quatro no mundo estão iniciando este significativo e importante movimento em prol do meio ambiente, sendo duas cidades nos Estados Unidos (Fort Lauderdale e Philadelphia), uma na Europa (Villareal na Espanha) e uma cidade na Oceania (Auckland na Nova Zelândia).